Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Youtuber negro abordado enquanto gravava vídeo diz que está sendo perseguido pela polícia de Goiás

Youtuber negro abordado enquanto gravava vídeo diz que está sendo perseguido pela polícia de Goiás

Cerca de um mês após ter sido abordado e algemado por policiais militares sem qualquer motivo aparente, o youtuber Filipe Ferreira, um jovem negro, afirmou nas redes sociais que está sendo perseguido por agentes da instituição no Goiás.

Ao final de maio, enquanto gravava manobras de bike para seu canal no Youtube, Filipe foi interpelado por dois policiais. Um deles, com a arma em punho, ordenou que o jovem descesse da bicicleta.

Neste domingo (27), o youtuber publicou um vídeo no Instagram questionando outra vez o comportamento dos agentes da corporação. Na gravação, um policial sai de uma viatura e avisa Filipe: “Pode parar aí”.

Na postagem, o jovem escreveu: “Estou sendo perseguido. Onde vou é assim, polícia me olhando e dando tchau, disparando sirene, sempre me intimidando”.

O vídeo continua e mostra que o policial que desceu da viatura está gravando Filipe. O soldado questiona: “A viatura passou, deu ‘tchauzinho’, mas qual foi a ameaça que foi feita?”.

“Ta aí, deu tchau por que [sic], só para me intimidar? Não vou me calar jamais”, escreveu o youtuber na publicação.

A Folha de S.Paulo tentou contato com Filipe, com a Polícia Militar e com a Secretaria de Segurança de Goiás, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

Em maio, a abordagem da qual o youtuber foi vítima viralizou nas redes sociais e foi apontada como um caso de racismo e violência policial.

Na ocasião, Filipe questionou por que estava sendo abordado, já que apenas treinava, e o policial respondeu que era porque estava mandando.

“Oxe, não é assim não”, disse Filipe, enquanto descia da bicicleta. Foi o suficiente para que o agente lhe apontasse a arma e começasse a gritar, mandando ele colocar a mão na cabeça.

O youtuber pegou seu celular, mas o aparelho continuou gravando a cena. Enquanto se aproximava, o policial subia o tom de voz, ao mesmo tempo que afirmava que aquela era uma ordem legal. Insistia para que ele colocasse a mão na cabeça e que aquele era o procedimento. Filipe pedia insistentemente para que o agente abaixasse a arma.

Ele, então, tirou a camisa para mostrar que não estava armado, enquanto o youtuber era algemado. “Resiste aí para você ver o que vai acontecer contigo”, com arma em punho, respondeu o policial ao Filipe, quando ele perguntou a razão de ser algemado.

“Eu sou trabalhador, filho. Por que você faz isso comigo? Como se fosse um vagabundo? Eu não sou vagabundo não. Olha como você tá apontando para mim”, disse o youtuber. “Esse é o meu procedimento!”, respondeu o policial, gritando. O vídeo termina após o agente pegar o celular de Filipe.

A abordagem ocorreu na orla do Lago Jacob, na Cidade Ocidental, um município de Goiás, a cerca de 50 km de Brasília. O vídeo foi divulgado por Filipe em seu perfil no Facebook.

Em sua postagem, o youtuber questionou se foi abordado porque é negro ou se tinha feito algo que justificasse a ação dos policiais.

“Não entendi o porquê [o policial] apontava a arma pra mim como se fosse disparar a qualquer momento, realmente não entendi nada. Fiquei me perguntando se eles me abordaram por conta da minha pele ou se realmente tinha feito algo”, escreveu.

Informações: Bnews

OUTRAS NOTÍCIAS