Presidente interina da Bolívia diz que “Bíblia volta ao Palácio” após saída de Evo Morales

A senadora Jeanine Áñez assumiu a função de presidente interina da Bolívia após a renúncia de Evo Morales, seu vice-presidente e os presidentes da Câmara e do Senado. Na cerimônia de posse, ela levou um exemplar da Bíblia Sagrada e declarou que o livro estava de “volta ao Palácio”.

Na sacada do Palácio Quemado, Jeanine Añez fez um discurso após assumir a presidência da Bolívia de maneira interina, como prevê a Constituição do país em caso de renúncia das figuras que ocupam a linha de sucessão. Entre a renúncia de Morales e a posse da senadora, o país passou 48 horas sem presidente.

“A Bíblia volta ao Palácio”, disse a presidente interina em declaração dada à imprensa, repetindo o gesto do líder de oposição, o conservador católico Luis Fernando Camacho.

Agora, em seu mandato tampão, deverá convocar uma nova eleição em até 90 dias. Ela acredita que poderá organizar todos os detalhes necessários e realizar o pleito para que o povo boliviano eleja seu novo presidente até o dia 22 de janeiro de 2020.

De acordo com a imprensa internacional, Añez foi proclamada presidente interina numa sessão legislativa extraordinária, sem a presença de representantes do partido Movimento ao Socialismo (MAS), que é apoiador do presidente demissionário, e sem a quantidade mínima exigida pelo regimento para uma deliberação.

Por seu lado, os integrantes do MAS disseram que faltaram à reunião por questões de segurança. Alegam que estão sendo perseguidos depois que os protestos se iniciaram por todo o país em decorrência na fraude ocorrida nas eleições, conforme apontado pela Organização dos Estados Americanos (OEA).

“O que aconteceu na Bolívia foi a verificação de fraudes monumentais. Um golpe de Estado é quando há soldados nas ruas”, afirmou a presidente interina ao negar a versão de Evo Morales, de que sua renúncia seria fruto de uma pressão golpista.

Na última quarta-feira, 13 de novembro, o Ministério das Relações Exteriores do Brasil reconheceu Añez como presidente interina da Bolívia. “O Governo brasileiro congratula a senadora Jeanine Añez por assumir constitucionalmente a Presidência da Bolívia e saúda sua determinação de trabalhar pela pacificação do país e pela pronta realização de eleições gerais. O Brasil deseja aprofundar a fraterna amizade com a Bolívia”, comunicou a pasta, através do Twitter.

Fonte: Gospel

Se sair da prisão, Suzane von Richtofen gostaria de ser pastora, diz revista

A possibilidade de se tornar pastora seria uma das alternativas estudadas por Suzane von Richtofen para a vida fora da cadeia, quando obter liberdade condicional, já que foi condenada a 39 anos de prisão em 2006 pela morte dos pais.

Esse cenário traçado pela revista Época numa reportagem para a edição impressa não é novo: a especulação de que Suzane trilharia esse caminho ocorre desde a revelação de que ela teria se convertido ao Evangelho em 2012.

O uso de condicionantes sobre a real situação da mulher que chocou o mundo ao matar os pais, enquanto dormiam, se deve a uma avaliação que a define como “manipuladora e dissimulada”. Assim, é impossível depreender o quanto do que ela diz é verdadeiro.

A revista do Grupo Globo aponta que Suzane von Richtofen é “disputada por duas igrejas evangélicas”, e por isso “tem estudado versículos da Bíblia sobre arrependimento”.

No último dia 10 de outubro, ela conseguiu ser incluída na lista de detentos que teriam direito à “saidinha”: por sete dias ela pode circular na companhia do noivo, Rogério Olberg, que vive em Angatuba (SP), a 360 quilômetros de Tremembé, onde fica a penitenciária em que cumpre sua pena.

O jornalista Ullisses Campbell seguiu a detenta por três dias, e revelou que Suzane recorre a técnicas para evitar gestos hostis: “Para não ser reconhecida na rua, recorre a um disfarce. Amarra os cabelos compridos e coloca uma peruca chanel de fios pretos. Quando perguntam como se chama, ela responde: ‘Louise’, seu segundo nome de batismo”.

Quando vai a cultos, deixa o disfarce de lado e surge de cara limpa na Igreja do Evangelho Quadrangular Central. Nessa congregação, os fiéis a tratam como se fosse celebridade e posa para selfies ao lado dos frequentadores, relatou Campbell.

“Durante a saidinha do Dia das Mães, em maio, subiu ao púlpito e deu um testemunho de 30 minutos sobre arrependimento. Sem entrar em detalhes sobre o crime, contou que matou os próprios pais porque foi seduzida pelo ‘diabo’. Na cadeia, Von Richthofen costuma ler a Bíblia para decorar passagens sobre arrependimento e perdão”, informou o repórter.

Além da congregação da Igreja Quadrangular, Suzane também frequenta cultos que a Comunidade Moriá realiza na penitenciária de Tremembé. “Ela tem dito que quer ser pastora. Segundo relatos do pastor Euclides Vieira, pretende começar sua carreira religiosa como missionária para só depois fazer pregações”, narrou o jornalista Campbell.

A matéria veiculada pela Época enfatiza que Suzane foi classificada como “vazia, infantilizada, manipuladora, desvalorizadora do ser humano, dissimulada e egocêntrica” quando submetida a um teste psíquico, e acrescenta que ela “pode até ter tentado a redenção no campo divino, mas sua fé não convence a Justiça terrena”, e por isso não obtém autorização para cumprir os 26 anos que restam de sua sentença em liberdade.

Fonte: Gospel +

Primeira missa a Santa Dulce dos Pobres no Brasil leva milhares de fiéis à Arena Fonte Nova em Salvador

A primeira cerimônia de homenagem a Santa Dulce dos Pobres no Brasil foi realizada neste domingo (20), com a presença de 52,6 mil pessoas, na Arena Fonte Nova, em Salvador. A programação contou com missa, espetáculo teatral sobre a vida da santa e atrações musicais. Irmã Dulce foi canonizada no último domingo (13), no Vaticano.

Do lado de fora da Arena Fonte Nova, muitos comerciantes vendiam azulejos, bijuterias e bonecas em alusão à santa.

Entre os fiéis que chegaram para assistir à cerimônia, muitos funcionários e voluntários das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID). Uma dessas pessoas foi Tatiane Ferreira, que levou a filha Anna Clara, de 8 anos.

“É uma emoção muito grande. Um reconhecimento que eu já tenho, como funcionária das Obras Sociais, e agora esse reconhecimento no mundo todo. A gente que trabalha lá vê o amor que tem nas obras por causa dela”, disse Tatiane.

Grande parte do público era formado por idosos, que também enfrentaram o sol para chegar à Fonte Nova. Um grupo de senhoras da paróquia de Santa Dulce também marcou presença na celebração.

“É muito bonito poder ver tudo isso, nossa primeira santa. A gente que já é mais velho faz um esforço para vir, porque quando isso vai acontecer de novo? É muita emoção estar aqui, mas está difícil pra gente andar. Algumas pessoas que estavam de muletas na nossa equipe desistiram”, ponderou Hildete Cavalcante, uma das líderes do grupo.

Quatro grupos musicais e a cantora Patrícia Ribeiro animaram o público, que vibrava e cantava mesmo com as queixas de sol forte.

G1 Bahia

“Toma vergonha na cara!”: Malafaia reprova presença de cantores gospel no Rock in Rio

O Rock in Rio, festival de música secular realizado com suporte do Grupo Globo, foi tema de um tópico do sermão pregado pelo pastor Silas Malafaia sobre a graça de Deus, e o líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) criticou artistas gospel que compareceram a um dos dias do evento.

De acordo com Malafaia, são pessoas que pregam uma “graça leviana”, pois não têm compromisso, e nem incentivam aqueles que os seguem a viverem em santificação.

“Eu to vendo aí cantores famosos que tem milhões [de seguidores] no YouTube [dizerem] ‘não tem problema cantar música profana’. Estão ensinando isso à nossa garotada. Crentes indo no Rock in Rio… vai tomar vergonha nessa cara! Músicas profanas, que debocham de Deus!”, lamentou o pastor.

A pregação de Malafaia no domingo, 06 de outubro, teve outros pontos polêmicos, como sua crítica à compreensão teológica calvinista, adotada pela maior parte das igrejas reformadas brasileiras.

Ainda sobre a influência do mundanismo no meio evangélico, o pastor recitou um trecho da carta do apóstolo Paulo aos fiéis em Corinto, quando exortou o povo de Deus a abandonar práticas de vida que contradizem o Evangelho.

“Que conversa é essa? Na tua Bíblia não tem II Coríntios, capítulo 6, a partir do versículo 14? Eu cito pra você: ‘Que sociedade tem a justiça com a injustiça? Que comunhão tem a luz com as trevas? Que concórdia entre Cristo e Belial? Que parte tem um fiel com um infiel? Que consenso há entre o templo de Deus e os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse ‘Neles habitarei e com eles andarei, eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo pelo que saí do meio deles. Apartai-vos, não toqueis nada imundo, então eu vos recebereis. Eu serei para vós, Deus, e vós sereis para mim, filhos e filhas’”.

“Eu admiro pastores que dão cachês milionários para essa gente que está deturpando a nossa juventude. E vai ver a vida de muitos deles, vivem em prostituição. ‘Ah, mas canta muito lindo’, ‘Mas prega muito’. Estamos substituindo caráter por talento”, concluiu o pastor.

Fonte: Gospel +

Irmã Dulce é canonizada pelo Papa Francisco e se torna a primeira santa brasileira

Santa Dulce dos Pobres. É assim que Irmã Dulce passa a ser chamada após a cerimônia de canonização que a tornou santa na manhã deste domingo (13) na Praça de São Pedro, no Vaticano, lotada de fiéis.

A santa, conhecida popularmente como Anjo Bom da Bahia, foi uma das religiosas mais populares do Brasil graças ao trabalho social prestado aos mais pobres e necessitados, principalmente na Bahia.

O Vaticano considera que Santa Dulce dos Pobres é a primeira santa brasileira. Embora outras brasileiras e uma religiosa que atuou no país tenham sido canonizadas pela Igreja Católica anteriormente, irmã Dulce é a primeira mulher nascida no Brasil que teve milagres reconhecidos.

“Nós, artistas, somos o instrumento do demônio”, ironiza a atriz Fernanda Montenegro

A mobilização da classe artística de alta visibilidade do país contra o governo Bolsonaro e sua pauta conservadora levou a renomada atriz Fernanda Montenegro a fazer uma provocação com ares de confissão: “Nós, artistas, somos o instrumento do demônio”.

A declaração de Fernanda Montenegro – que acaba de lançar sua autobiografia, intitulada Prólogo, Ato, Epílogo, distribuída pela Companhia das Letras – foi dada ao Estadão Conteúdo.

Em seu livro, Fernanda Montenegro, 89 anos, fala sobre sua carreira com 70 anos de experiência, trabalhos e prêmios no teatro, TV e cinema, além de compartilhar parte de sua vida pessoal.

Questionada sobre o momento atual da política nacional, a atriz não titubeou ao criticar a postura do governo liderado pelo presidente Jair Bolsonaro, que extinguiu o Ministério da Cultura, fez ajustes na Agência Nacional do Cinema (Ancine) – órgão realocado no Ministério da Cidadania – e também vem defendendo mudanças na Lei Rouanet, que permite a empresas abaterem impostos em troca de financiamento de projetos artísticos.

“Estamos nos transformando em um país conduzido por uma visão religiosa e quem não apoiar não terá nada. E a cultura tornou-se o primeiro item a ser revisto e, se possível, exterminada. A arte é demoníaca, e nós, artistas, somos o instrumento do demônio”, afirmou Fernanda Montenegro, expressando sua crítica ao corte de parte das verbas públicas para projetos de artistas que integram um grupo de “elite” do entretenimento nacional.

À TV Folha, Fernanda Montenegro seguiu a mesma linha, ironizando o estabelecimento de prioridades na destinação de recursos públicos a demandas populares, um compromisso assumido pelo presidente durante a campanha em 2018.

“Há tanta carência no país, no social, que perder tempo com imaginário criativo… Então, acho que nunca vivemos isso, não. Por que, agora, além de tudo, ainda há uma moralidade em cima de nós, e aí isso acaba em cima de quem? Do instrumento do demônio, que é o ator. Somos perigosos porque nós nos aceitamos diversos. Como entender isso do ponto de vista de uma religião, ou de uma seita, que tem lá seus princípios?”, alfineto

Fonte: Gospel

Irmã Dulce: Leia a oração da Bem-Aventurada que se tornará santa em outubro

A canonização de Irmã Dulce só será em 13 de outubro deste ano, mas desde quando foi beatificada, em 2011, a religiosa já tem uma oração oficial.

A oração foi escrita por Dom Geraldo Majella, que era Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil quando Irmã Dulce foi beatificada, há cerca de oito anos. Dom Geraldo foi arcebispo de Salvador de 1999 até 2011. Hoje, quem ocupa o cargo é Dom Murilo Krieger.

Após a canonização, a oração vai passar por uma pequena alteração, o trecho onde está escrito “Bem-Aventurada” será substituído por “santa”, já que ela será elevada na canonização.

Confira abaixo a oração que destaca a importância do amor aos pobres e excluídos, assim como Irmã Dulce fez em vida, mas também após a morte, ao deixar seu legado nas Obras Sociais Irmã Dulce.

Oração à Irmã Dulce

Senhor nosso Deus,
lembrados de vossa filha,
a Bem-Aventurada Dulce dos Pobres,
cujo coração ardia de amor por vós e pelos irmãos,
particularmente os pobres e excluídos,
nós vos pedimos:
dai-nos idêntico amor pelos necessitados;
renovai nossa fé e nossa esperança
e concedei-nos, a exemplo desta vossa filha,
viver como irmãos,
buscando diariamente a santidade,
para sermos autênticos discípulos missionários
de vosso filho Jesus.
Amém.

Fonte: G1

Africanos adoram a Deus ao ar livre depois de tragédia

Após a grande tragédia que ocorreu na África e devastou 3 países, entre eles foram: Moçambique, Zimbábue e Malawi, não houve impedimentos suficientes para que aquele povo deixasse de render gratidão a Deus.

O ciclone Idai é considerado um dos maiores fenômenos naturais existentes em todo mundo, desse modo, tendo praticamente toda a vida destruída, nem mesmo esses piores momentos conseguiram tirar as forças deles.

Segundo o presidente de Moçambique, Filipe Nyusi acredita que os mortos ultrapassam a casa dos 1.000, porém oficialmente já foram contabilizados mais de 750 óbitos e 110 mil pessoas desabrigadas.

Os números são chocantes e o que deixa-os mais ameaçados além de toda estrutura destruída, é o surto de cólera, que já foi confirmado pelas próprias autoridades, agentes da saúde.

os últimos dias, com suas programações diárias de cultos, o povo africano ao ar livre tem realizado os próprios rituais religiosos, para render gratidão a quem os livrou da morte.

O povo desse continente, segundo informações são pessoas que possui um grau de honra a Deus muito elevado, e pelo fato não são as adversidades da vida que fará com que eles excluam seus costumes religiosos.

Diante disso, todo choque que eles tem enfrentado, é apenas uma oportunidade para que aquele povo continue buscando a Deus.

O Pastor da cidade da Beira, região que foi mais afetada com todo fenômeno natural foi testemunho vivo do caso.

“Nós temos que agradecer a Deus por tudo o que Ele fez por nós. As nossas casas caíram, mas Deus sempre merece ser louvado. Estamos aqui para louvar o nosso Deus”, concluiu.

Fonte: O fuxico gospel

Abílio Santana cria projeto do “Dia Nacional do Orgulho Cristão”

O deputado federal Abílio Santana (PL-BA) apresentou na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 4832/2019 que cria o “Dia Nacional do Orgulho Cristão”. Pastor evangélico, o parlamentar justificou que a proposta visa garantir o direito dos cristãos manifestarem e celebrarem o orgulho em sua crença no cristianismo.

“A sociedade se depara todos os dias com atos de discriminação de quem é contrário aos “novos conceitos” da formação familiar, ideologia de gênero, etc; por isso, mais do que nunca o cristianismo precisa ser lembrado como motivo de orgulho, vez que é a base religiosa de mais da metade da sociedade brasileira, entre católicos e evangélicos”,

Abílio Santana pontua ainda que “o Cristianismo teve um papel decisivo no desenvolvimento da civilização ocidental” e destacou o trabalho voluntario desenvolvido pelas diversas comunidades cristãs, principalmente na reabilitação de dependentes químicos”.

Bolsonaro é abençoado por Edir Macedo em culto com 10 mil fiéis em SP

Na semana em que a facada que sofreu durante a campanha completa um ano, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi abençoado pelo bispo Edir Macedo na frente de uma multidão de quase 10 mil fiéis no Templo de Salomão, sede da Igreja Universal do Reino de Deus em São Paulo.

No altar, de joelhos e de costas para os fiéis, Bolsonaro foi ungido com o azeite da igreja evangélica por volta das 10h.

“Que Deus lhe dê sabedoria e coragem”, disse Macedo, com as duas mãos sob a cabeça do presidente. 
O presidente entrou com seguranças depois que todos os fiéis já estavam sentados. Ele sentou na primeira fila, que estava reservada a ele e sua equipe. A família de Edir Macedo também ocupou as cadeiras da frente.

A primeira-dama, Michele Bolsonaro, que é evangélica, não foi à reunião, como é chamado o culto pela manhã.

Edir Macedo criticou a imprensa. Disse que tentou trazer à igreja um candidato que virou presidente, sem deixar claro quem era, e que “quem perdeu a eleição foi desonrado”. Ele afirmou que o Brasil “vive o inferno da mídia”. 

“Mas eu estou aqui”, acrescentou, tirando riso de alguns fiéis. O bispo é proprietário da Rede Record.

“Este é um ‘antes e um depois’ para o presidente”, disse. Após ser abençoado, Bolsonaro deixou o espaço e fez uma visita guiada pela igreja.

Segundo frequentadores que aguardavam desde as 8h para entrar no culto, o Templo de Salomão inicia neste domingo uma oração à nação brasileira, que visa também fortalecer o presidente.

Bolsonaro fica até as 19h em São Paulo. Ele chegou pela manhã e fez uma consulta com seu médico em Congonhas. Ele terá que fazer uma nova cirurgia em consequência da facada que sofreu em setembro do ano passado.

 

Fonte: BNews