Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Jogador de futebol é achado morto após 30h de ‘desespero’

Jogador de futebol é achado morto após 30h de ‘desespero’

Um jogador de futebol de Osasco foi encontrado morto no mar de Praia Grande, no litoral de São Paulo, depois de ter ficado mais de 30 horas desaparecido. Anderson Lourenço, de 23 anos, viajava com a família, em Mongaguá, quando desapareceu na madrugada de sexta-feira (24). A família suspeita que ele tenha caminhado por cerca de 10 km até entrar no mar e se afogar.

A esposa do jogador, Larissa Oliveira, de 22 anos, disse em entrevista ao g1 nesta segunda-feira (27) que o marido estava em Mongaguá com o irmão, quando decidiu passear pela praia. “Por volta das 2h da manhã, ele deixou as roupas dele, chave, documento, e falou para o meu cunhado que iria dar uma volta. Depois de uns cinco minutos, meu cunhado sentiu falta dele, porque ele não é de sumir assim”, relembra.

Apreensiva, a família decidiu iniciar as buscas. Larissa conta que eles acionaram os bombeiros e a polícia, e que após 36 horas ‘no desespero’, um pescador encontrou o corpo de Anderson boiando no mar de Praia Grande, no Balneário Flórida. O corpo dele foi retirado pelo Grupamento de Bombeiros Marítimos (GBMar) e encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) da cidade.

Anderson deixou um filho bebê  — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Anderson deixou um filho bebê — Foto: Reprodução/Redes Sociais

A viúva diz que apesar da causa da morte ainda não ter sido definida pelo IML, a família não acredita que Anderson tenha se afogado logo quando sumiu. “Como ele era jogador e tinha uma saúde boa, ele deve ter andado alguns quilômetros, cansado, ido jogar uma água no corpo, e a água deve ter levado ele”, imagina.

Larissa conta que a situação para ela e os familiares está difícil. “Para mim a ficha não caiu totalmente”, diz. Ela e Anderson têm um filho que completou 11 meses no último sábado (25). A mãe relembra que o jogador marcou a vida do filho nesses meses em que conviveram. “Meu filho jamais vai esquecer do pai”, finaliza.

Informações: G1

OUTRAS NOTÍCIAS