Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Inflação preocupa, mas fábricas de chocolate elevam produção na Páscoa

Inflação preocupa, mas fábricas de chocolate elevam produção na Páscoa

Apesar da inflação e da retração no poder de compra do consumidor, os grandes fabricantes de chocolate terão neste ano uma produção de ovos maior do que na Páscoa de 2021, quando o país ainda atravessava um momento difícil da pandemia.

A Mondelez, dona da Lacta, diz que elevou em 10% o volume. A empresa lançou uma linha de pequenos ovos recheados, com preço mais baixo, e aposta na venda das caixas de bombom. Renata Vieira, diretora de marketing na Mondelez, diz que os preços subiram para o consumidor final devido ao aumento nos custos.

“Regionalizamos mais nossa estratégia de preço porque o Brasil não é um Brasil só, são vários. E o poder aquisitivo, da mesma forma que a inflação, foi afetado de maneira diferente nas várias regiões. Aplicamos aumento de preço, mas tentamos fazer isso de forma inteligente, para oferecer alternativas ao consumidor”, diz.

A Nestlé também diz ter sentido pressão no custo de matérias-primas. A companhia diz que subiu de 10 milhões para 11 milhões o número de itens à venda na Páscoa deste ano em relação à do ano passado.
A empresa também aposta nas vendas das caixas de bombom de sua marca Garoto, além de itens mais baratos, como mini ovos. Na Cacau Show, a campanha de Páscoa foi antecipada em duas semanas e a produção, elevada em 24% ante 2021.

Folhapress

OUTRAS NOTÍCIAS