Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Governador Rui Costa nega que empresa da compra de respiradores não existe e garante devolução do dinheiro até sexta

Governador Rui Costa nega que empresa da compra de respiradores não existe e garante devolução do dinheiro até sexta

O governador Rui Costa negou, na tarde desta terça-feira (12), que a empresa em que o governo da Bahia comprou os respiradores seja “fantasma”, como alegou o presidente da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-China, Charles Andrew Tang em entrevista ao A Tarde. Rui afirmou ainda, durante entrevista a TV Bahia, que o dinheiro será devolvido até sexta-feira.

“Eu fico assustado com as pessoas nesse momento querem fazer política, fazer disputa comercial ou falar daquilo que não conhece. A empresa que o governo fez contato é uma empresa americana, então não acho que ele seja a pessoa mais adequada para falar da idoneidade de uma empresa americana alguém de uma câmara de comércio da China. O inverso é verdadeiro, eu não acho que a pessoa mais apropriada para falar da idoneidade de uma empresa chinesa que seja um empresário americano. Com diz o velho ditado: cada macaco no seu galho”, afirmou.

Quando a compra deu errada, o secretário de Saúde Fábio Vilas Boas afirmou que os equipamentos foram adquiridos junto a uma empresa americana que disse ter comprado 2 mil respiradores da China. Ela exigiu o pagamento de 80% dos 600 respiradores que seriam enviados para o Brasil: “Nós fizemos o pagamento antecipado, como é a praxe do mercado hoje, já que as empresas da China exigem 100% de pagamento antecipado”, explicou na época.

O governador explicou nesta terça-feira que fez contato com a empresa, que disse que abrirá um ação indenizatória para processar “todos aqueles que mancharam a sua imagem”. Rui disse, ainda, que o governo vai processar quem divulgou a informação que ele chamou de “calúnia, mentiras, notícias falsas”, sendo que a informação veio do presidente da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-China.

OUTRAS NOTÍCIAS