Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Criança que ficou com a mão presa em escada rolante em Feira de Santana faz cirurgia para reconstrução dos dedos

Criança que ficou com a mão presa em escada rolante em Feira de Santana faz cirurgia para reconstrução dos dedos

A criança que ficou com a mão presa na escada rolante de uma loja de departamento, em Feira de Santana, cidade a cerca de 100 quilômetros de Salvador, passou por uma cirurgia de urgência na quinta-feira (2) para reconstrução dos dedos.

“A gente achou que o problema era grande, mas quando chegamos no hospital descobrimos que foi muito pior. Teve que reconstruir todos os dedos dela. Se demorasse mais 10 segundos não ia conseguir reconstruir nada”.

Inicialmente, a informação era de que o caso ocorreu com um menino de quatro anos, no entanto, nesta sexta-feira (3), a família da criança detalhou tratar-se de uma menina de dois anos.

Segundo Maria Eduarda, irmã da menina, Ana Liz descia a escada com a mãe, quando se desequilibrou e caiu.

“A mão dela foi direto na escada, ficou presa lá”, disse.

Criança que ficou com a mão presa em escada rolante na BA faz cirurgia para reconstrução dos dedos — Foto: Arquivo Pessoal

Criança que ficou com a mão presa em escada rolante na BA faz cirurgia para reconstrução dos dedos — Foto: Arquivo Pessoal

Ainda segundo a irmã da criança, a família não recebeu nenhum tipo de auxílio de um profissional socorrista.

“Não teve socorro da Samu, nem da Riachuelo, nem Corpo de Bombeiros. Não teve assistência nenhuma. Quem retirou a mão dela foram pessoas [clientes] que estavam na loja e ajudaram minha mãe. Foram verdadeiros anjos”, relembra.

Maria Eduarda ainda informou que o tempo para retirar da escada, a mão da criança que estava presa, foi de cerca de uma hora.

“Esse tempo todo já tinham [testemunhas] ligado para Bombeiros, Samu e nada deles chegarem no local”, afirmou.

Kelly Cardoso, Ana Liz e Maria Eduarda — Foto: Arquivo Pessoal

Kelly Cardoso, Ana Liz e Maria Eduarda — Foto: Arquivo Pessoal

Maria Eduarda disse que a pequena Liz foi encaminhada para o Hospital Emec pela Polícia Militar. Ela também relata que houve demora para a criança ser medicada, pois a loja de departamento precisava autorizar o atendimento.

“Ana Liz não tomou a primeira medicação até a Riachuelo autorizar o atendimento. A gente chegou aqui [no hospital] por volta das 17h, 18h, e ela só foi medicada depois das 19h”, relatou.

A irmã de Liz ainda disse que representantes da loja de departamento queriam transferir a criança do Hospital Emec, para uma outra unidade de saúde que aceitava o plano utilizado pela empresa.

“Foi uma falta de respeito com a gente. Eles queriam fazer a troca do hospital para usar o plano de saúde da Riachuelo, mas o medico não autorizou porque o risco era muito grande. Foi uma cirurgia de urgência, precisava ser feita na mesma hora e só foi realizada às 20h30”.

Por meio de nota, a Riachuelo lamentou o acidente e disse que acionou imediatamente a emergência e as autoridades competentes. A varejista reiterou que deu suporte no local, acompanhou a criança no hospital, mobilizou toda a estrutura de saúde, se responsabilizando por todos os custos incorridos até momento, e segue em contato contínuo com à família, prestando todo o suporte necessário.

Na manhã desta sexta-feira, Liz seguia internada no Hospital Emec. Segundo Maria Eduarda, ela está bem e deve ter alta médica no sábado (4).

“O médico disse que ela vai passar por fisioterapia e ficar com o braço engessado para recuperar movimento da mão”.

Mãe relata desespero

A mãe de Liz, Kelly Cardoso, relatou o desespero para conseguir tirar a mão da filha da escada rolante. “Liz veio para cá [hospital] sem ter nenhum socorro. A mão de Liz foi tirada de lá na tora”, disse. [Assista ao vídeo acima]

“O povo sem experiência dizendo ‘puxa’ e eu dizendo ‘não pode puxar’, tem que ter paciência, esperar folgar’. Aí dava uma folguinha na mãozinha dela. Aí eu [falei] ‘bota uma coisa mais grossa para folgar'”, explicou.

“Aí conseguiram um ferro mais grosso, deram outra folguinha e foi ai que consegui tirar a mãozinha de minha filha lá de dentro”.

Além disso, a irmã de Liz, Maria Eduarda, disse que a pequena estava feliz, porque iria para uma festa.

Informações: G1

OUTRAS NOTÍCIAS