Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Taxa de ocupação do Hospital Geral Clériston Andrade II é de 82%

Taxa de ocupação do Hospital Geral Clériston Andrade II é de 82%

Na manhã desta quinta-feira (18), em entrevista concedida ao Bom Dia Feira, o Dr. Lúcio Couto, coordenador da UTI do Hospital Geral Clériston Andrade II, unidade que está atendendo os infectados pela Covid-19, frisou que a taxa de ocupação do HGCA é de 82%.

‘Estamos vivendo no risco constante de 100%, por isso as medidas restritivas estão sendo tomadas, ainda não vivemos um colapso de saúde como vimos em alguns lugares, mas a situação na cidade não é tranquila, estamos vivendo todos os dias no limite. Há também a questão dos leitos que são preenchidos imediatamente ao longo do dia, já começamos o dia com 90% e logo atingimos os 100% de ocupação’, destaca o coordenador.

Além da alta taxa de ocupação dos leitos, de acordo com o coordenador do HGCA, outra preocupação constante é a gravidade dos casos de coronavírus.

‘Os casos têm sido mais graves. Temos recebido mais jovens, pessoas com grande comprometimento pulmonar, o que tem nos preocupado bastante, muitos pacientes estão com medo de procurar um hospital e estão retardando o atendimento, a falta de cuidado é perceptível, a população parece ter cansado de se prevenir’, conta.

Para conter a propagação do vírus, cidades baianas, incluindo Feira de Santana, a partir desta sexta-feira (19), irão adotar o toque de recolher. Para o Doutor, a medida é necessária.

“Das 22h ás 5h, é onde geralmente as festas acontecem e nesse momento é necessário a medida preventiva porque se a população continuar se comportar do jeito que está, se a demanda continuar como está, vamos chegar ao colapso que ninguém quer chegar’, diz.

O Dr. Lúcio alerta ainda que, o cenário atual deve se manter por aproximadamente 30 a 60 dias, tendo uma baixa no próximo semestre, mediante função da vacinação.

OUTRAS NOTÍCIAS