Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Secretário de Saúde de Feira diz que 20% não compareceram para 2ª dose da vacina contra o coronavirus; ‘Tendência é faltar vacinas em Feira’

Secretário de Saúde de Feira diz que 20% não compareceram para 2ª dose da vacina contra o coronavirus; ‘Tendência é faltar vacinas em Feira’

Com o processo de vacinação contra a Covid-19 iniciado em janeiro, a tendência atual é faltar vacinas em Feira de Santana.

Ao Bom Dia Feira, o secretário Municipal de Saúde afirmou que o estoque é ‘extremamente baixo’ e a cidade está próxima ao limite do esgotamento.

‘Hoje temos um estoque de 1.130 vacinas na sede, o que é muito pequeno. Já conseguimos vacinas mais de 3 mil pessoas em um único dia, ainda há um quantitativo de doses nos postos de saúde que restaram da vacinação do dia anterior. Temos o plano de uma mega operação de vacinação na cidade, mas não dá para começar com uma quantidade pequena de vacinas. Se esgotar a vacina, temos que parar a vacinação, não temos escolha, até chegar novas doses’, destaca.

A última remessa de vacinas para a cidade aconteceu no último dia 1º de abril com a chegada de 11.800 doses. Conforme a secretária Municipal de Saúde, há uma promessa para que, ainda nesta semana, cheguem novas doses.

‘Mas é uma promessa, não há confirmação de nada’, afirma.

O secretário chama atenção para a necessidade do paciente tomar a segunda dose da vacina. De acordo com ele, cerca de 20% dos feirenses que estavam agendadas para receber o imunizante, não compareceram.

‘A vacinação é um ciclo, precisa ser feita a primeira dose e, dentro do período preconizado, tomar a segunda dose. Não dá para ter pessoas não comparecer para a segunda dose, se não tomou a segunda dose, não está imunizado. As doses dessas pessoas estão garantidas, mas eu não posso ficar esperando essa dose eternamente, não tem sentido não tomar a segunda, se já tomou a primeira, é muito estranho, quando é feita a primeira vacinação, o paciente já sai com o dia marcado, se por acaso, excepcionalmente, não puder comparecer no dia marcado, avisa ao posto, não vamos cometer essa falta de consciência, tem pessoas precisando dessa dose’, relata.

Ele reafirma ainda, a necessidade de manter os protocolos de prevenção ao vírus para reduzir as taxas de vítimas fatais em decorrência da doença.

‘Lavar as mãos com água e sabão sempre que for possível, usar álcool em gel, usar máscara sempre e em momento nenhum, fazer aglomerações, não é possível participar de festas neste momento, vamos ter diversas festas para participar lá na frente, mas nesse momento não dá, temos que manter o isolamento por mais tempo, todos estão cansados, esgotados, mas não temos opção, talvez você não queira ter esse cuidado com você, mas tenha com quem ama’, pontua.

No comando da pasta desde o último dia 12 de março, o secretário relata que comandar a Saúde em meio à pandemia tem sido ainda mais desafiador.

‘É uma megaestrutura, são mais de 4 mil colaboradores e com a pandemia, é um desafio duplo, mas precisamos dar continuidade ao bom trabalho que já foi feito, tentam corrigir pequenas ações que eventualmente foram modificadas pela atualidade e enfrentar esse momento muito difícil com a população’, diz.

Feira de Santana integra o consórcio para aquisição da vacina Sputnik V desenvolvida pelo Instituto Gamaleya, da Rússia, que possui parceria com a empresa brasileira União Química. Os estados do Nordeste negociam quase 40 milhões de doses com o governo russo. Mas ainda não há previsão para recebimento das doses, já que a conclusão do contrato está condicionada à autorização por parte da autoridade sanitária local, a Anvisa.

‘A Anvisa é um órgão essencialmente científica onde avalia dados epidemiológicos e técnicos da vacina, e com base nesses resultados, libera ou não, o que ela disse foi que faltaram informações para esta análise’, explica.

Informações: Bom Dia Feira

OUTRAS NOTÍCIAS