Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Futuros permissionários do Centro Comercial Popular tiram suas dúvidas sobre o local

Futuros permissionários do Centro Comercial Popular tiram suas dúvidas sobre o local

1282018155906

Futuros permissionários do Centro Comercial Popular, que está sendo construído em área do Centro de Abastecimento, tiraram dúvidas sobre o funcionamento do local onde desenvolverão suas atividades a partir do próximo ano, durante uma reunião com representantes da Prefeitura e da empresa responsável pelo entreposto.

Durante o encontro, que aconteceu na tarde de sexta-feira, 10, no canteiro de obras do Centro, os comerciantes ouviram as explicações e tiveram dúvidas esclarecidas, como a facilidade e importância da setorização dos boxes – produtos afins num mesmo espaço, valores do aluguel a serem pagos – R$ 80 por metro quadrado e a gestão do local.

A logística de funcionamento foi apresentada pelo secretário de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, Antônio Carlos Borges Júnior e o representante do Consórcio Feira Popular, Elias Targineli. Também estiveram presentes representantes da Fundação Doimo e do Sebrae.

Momento ideal para tirar as dúvidas

O secretário Antônio Carlos Borges Junior disse a todos que o momento era o ideal para que todos tirassem suas dúvidas e apresentassem ideias que poderiam ser absorvidas. “Quem conhece o mercado são vocês e quais são as suas necessidades”.

Foram informados de que o Sebrae fará um diagnóstico que vai possibilitar a vocação comercial dos camelôs – principalmente daquelas que vendem mais de um produto, e treiná-los para que passam a saber e vender com base científica. A meta é capacitar todos os comerciantes que atuarão no Centro Comercial Popular.

De camelôs a pequenos empreendedores

Elias Targineli afirmou que os camelôs passarão a pequenos empreendedores, que considera uma mudança significativa. “Estamos discutindo a operação do Centro Popular e todos devem ter a visão de crescimento e desenvolvimento pessoal, porque aqui é um equipamento de futuro para quem deseja trabalhar”.

Avanço para todos os comerciantes de rua

Vendedor de lanches, Jairo Pacheco disse que a transferência para o entreposto é um avanço para todos os comerciantes de rua. “Todos serão bem acolhidos, acredito”. Foi informado que o local terá um amplo centro gastronômico – e não uma praça de alimentação, com moderna estrutura que possibilita o lazer e diversão.

OUTRAS NOTÍCIAS