Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Vereador Paulão do Caldeirão mobiliza ajuda para família com casa em risco de desabamento; Edil se sensibilizou após pedido de menino de 8 anos

Vereador Paulão do Caldeirão mobiliza ajuda para família com casa em risco de desabamento; Edil se sensibilizou após pedido de menino de 8 anos

Sensibilizados com o apelo do menino de 8 anos Levi Gabriel da Silva Santos, que gravou um vídeo para o Acorda Cidade pedindo ajuda da comunidade para reformar a casa da sua avó, Maria Oraide Souza Santos Silva, vereadores da Câmara Municipal se dispuseram a fazer doações para a dona de casa de 59 anos. O imóvel fica localizado no bairro Conceição e corre o risco de desabar, sobretudo em meio ao período de chuvas.

De acordo com o vereador Paulão do Caldeirão, o assunto foi abordado na Câmara e os parlamentares se propuseram a cobrar uma ação efetiva por parte da Secretaria de Desenvolvimento Social do município.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

“Há muito tempo que não via uma coisa tão dolorosa como vi pela manhã. Costumo acompanhar o Acorda Cidade e estava tomando o café da manhã quando iniciou a matéria com uma senhora falando sobre a situação da residência. No momento em que a criança falou, ela me comoveu. Eu perdi a fome, e comecei a chorar, chorei até a Câmara. Fiz o apelo na Casa Legislativa, temos 21 vereadores, mas Deus toca no coração de cada um. Deus tocou no coração do Acorda Cidade e tocou no meu coração e o que eu posso fazer é contribuir. Aguardei inclusive o secretário de Desenvolvimento Social, o prefeito, mas ninguém ligou. Existem muitas famílias que estão embaixo da chuva e existe uma verba na Secretaria para isso”, comentou.

Segundo o vereador Paulão, apenas quatro vereadores realizaram a doação na Câmara. São eles Galeguinho SPA, Luiz da Feira e o Pastor Valdemir. “Nós quatro estamos sensíveis e vamos fazer as doações. A partir de segunda-feira, o departamento de Ação Social, já que a prefeitura não realizou, vai fazer”, disse. 

Menino de 8 anos pede ajuda para reformar casa da avó que apresenta risco de desabamento

Entenda o caso:

Além do cobertor, a moradora do bairro Conceição Maria Oraide Souza Santos Silva, 59 anos, precisa se cobrir com um plástico, para evitar que as goteiras a atinjam enquanto dorme. A casa está praticamente sem telhado, pois estava para desabar e precisou ser retirado em alguns cômodos (Assista ao vídeo no final da reportagem).

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Com o teto danificado, as paredes do imóvel de Maria Oraide estão rachadas e os poucos móveis que ela tem estão velhos e alguns já não funcionam mais.

Vendo a situação da avó, o pequeno Levi Gabriel da Silva de Santos, 8 anos, se juntou com a vizinha Nalva Santos, para tentar tirar Maria Oraode dessa situação. Foi então que a amiga emprestou o celular dela e garoto gravou um vídeo mostrando o lugar e fazendo um apelo para que a comunidade possa colaborar com a reforma do local.

Foto: Arquivo Pessoal

“Pensei em ajudar minha avó, porque está em tempo dessa casa cair e ela morrer. Quero que faça uma casa nova e ajudem ela a fazer a casa dela, com os blocos, a madeira. Estou sempre aqui com ela, e meu sonho é ser policial para um dia pode ajudar minha avó e minha família inteira”, relatou o menino, em entrevista ao Acorda Cidade.

A amiga Nalva Santos, que há 40 anos mora no bairro Conceição e é vizinha de Maria Oraide, contou que se sensibilizou muito com a situação da dona de casa e quase não tem dormido preocupada com ela.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

“A situação de Oraide é muito crítica. Se eu tivesse condições, a ajudaria. Sábado, eu cheguei aqui e vi a situação da casa dela e vi ela falando que se tivesse um celular mandava o neto gravar um vídeo para colocar nas redes sociais. Eu não pensei duas vezes e dei o celular para ele, que gravou o vídeo. Resolvi mandar para o Acorda Cidade. Essa casa deveria ser derrubada e fazer outra. Ela precisa de bloco, cimento, telha, madeira, só tem uma porta que dá para aproveitar, mas o resto não aproveita nada”, afirmou.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Também em entrevista ao Acorda Cidade, Maria Oraide relatou que mora nesta casa desde 1988, e em 2018 passou a morar só, desde que o marido morreu em junho daquele ano. Segundo ela, trabalhava como diarista, mas atualmente está sem emprego e com problemas de saúde, como artrose nas duas pernas e dores na coluna.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

“Minha casa está aqui nessa situação, querendo cair. As paredes estão todas rachadas. Eu recebo somente o auxílio do governo, então não tenho condição de fazer uma reforma, nem de construir outra casa. No terreno aqui, no quintal, dá para fazer outra casa, mas eu não tenho condição. Tem um quarto aqui, que só tem duas geladeiras velhas que não funcionam. O fogão e um armário velho. Na minha cozinha só tem um fogão”, contou.

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Ela confirmou também que o quarto e a cozinha estão sem o telhado, e ela está usando a cozinha em outro quarto. “O telhado estava para desabar, porque a madeira o cupim comeu, e tivemos que tirar.”

A diarista ainda se emocionou com a atitude do neto em gravar o vídeo para que alguém possa ajudar. “Como eu não tenho celular, a amiga Nalva escutou e disse que emprestaria o aparelho. Meu neto é uma benção de Deus e me senti emocionada.”

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Os telefones para ajudar Maria Oraide são: 75 98854-3103 (só WhatsApp) e 71 81494504- (só ligação).

Fotos: Arquivo Pessoal

Informações: Acorda Cidade

OUTRAS NOTÍCIAS