Vereador Paulão denuncia manobra de Edis da oposição para derrubar votação de projeto do SENAR em Feira

Durante sessão extra na manhã desta terça-feira (23), na Câmara dos Vereadores de Feira de Santana, o presidente em exercitório, Vereador Fernando Dantas Torres, colocou em pauta o projeto do executivo referente a sessão de área do município no Parque de Exposições, para a implantação de uma Escola Técnica Rural do SENAR.

Este projeto completou um ano que foi enviado a Câmara neste mês de maio, e uma comissão da Casa Legislativa, juntamente com a Presidente Eremita Mota, teriam ido a uma unidade do SENAR em outro Município para que pudessem fazer as averiguações para em fim pautar o projeto, o que não aconteceu. Os dirigentes do SENAR vem cobrando uma decisão sobre o projeto e explicam que caso não ocorra com brevidade, podem suspender a iniciativa, levando para outro município, causando a perca da unidade em solo feirense.

Solicitado pelo líder da bancada governista na Câmara, o Vereador José Carneiro Rocha, e visando agilizar o processo, Fernando Torres solicitou uma sessão extra para que o projeto fosse em fim votado nessa manhã. Porém a votação não pode ocorrer, o motivo seria a falta do quorum, devido ao fato que vários vereadores em maioria de oposição que estavam na sessão momentos antes, teriam ido embora do plenário, fazendo com que a quantidade minima de 14 vereadores para acontecer a votação não fosse alcançada, atrasando ais uma vez a resolução do impasse.

Usando da fala durante a discussão sobre o ocorrido, o Vereador Paulão do Caldeirão (PSC), denunciou a ação de “fuga” dos colegas, como uma manobra para derrubar o projeto do executivo, mesmo este beneficiando o município, apenas por serem oposição, e caracterizou a ação como vergonhosa por parte de edis que dizem ser defensores dos interesses da população.

“Não me surpreendeu que na manhã desta terça-feira (23), os vereadores da oposição, fugiram da sessão, para que fosse derrubado um projeto do executivo, mesmo que este beneficie a população, como é o caso da Escola Técnica Rural do SENAR. Eu que já fui oposição e mesmo sendo hoje da bancada governista votaria contra o projeto caso discordasse, mas nunca utilizei de subterfúgios para derrubar uma votação. Hoje após longa pesquisa, percebi a importância e a grande vantagem para nossa cidade em ter uma escola do SENAR no município, e votaria a favor, por este motivo fiquei na sessão, para que o mesmo fosse votado, mas como já é de costume, os Edis que fazem parte da bancada de oposição, usaram de deslealdade e foram embora do plenário, derrubando a votação por falta de quórum. Me decepciona muito que vereadores que dizem ser defensores do povo, e quando se tem um projeto que beneficia o povo, alguns até que foram em comissão visitar uma unidade do SENAR, somem, apenas pelo projeto ter vindo do Prefeito, utilizando do velho ditado, dois pesos e duas medidas”, diz.

Outro entrave durante a votação, foi uma suposta interferência de um dos servidores do Legislativo, o advogado Eduardo, que segundo o Presidente em exercício Fernando Torres, estaria a mando de “forças ocultas”, tentando atrapalhar a votação. Fernando então solicitou a exoneração sumaria do servidor, que teria momentos antes saído da Casa da Cidadania, e já não se encontrava no recinto.

OUTRAS NOTÍCIAS