Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Suspeitos de ataque a repórter conseguiram faca com amigo; veja detalhes do depoimento

Suspeitos de ataque a repórter conseguiram faca com amigo; veja detalhes do depoimento

Um dos suspeitos de esfaquear o jornalista Gabriel Luiz, 29 anos, disse em depoimento à Polícia Civil que a decisão de praticar o crime surgiu pouco antes do ataque e que conseguiu a faca utilizada na agressão com um amigo, que não participou do momento das facadas. O depoimento de José Felipe Leite Tunholi, 19, consta no inquérito conduzido pela 3ª Delegacia de Polícia, localizada no Cruzeiro. Aos investigadores, ele deu detalhes dos instantes que antecederam o esfaqueamento do jornalista da TV Globo e relatou ainda ter ido à casa de um amigo para que o comparsa que também participou da tentativa de latrocínio trocasse a roupa suja de sangue. O R7 teve acesso ao documento.

À polícia, José Felipe contou que se encontrou com dois amigos “para uma resenha na SQSW 504”, no Sudoeste. Um deles é um adolescente de 17 anos suspeito de participação no crime e que também foi apreendido. Num primeiro momento, José Felipe relatou aos investigadores que “fizeram uso de bebidas alcoólicas e drogas”. Depois, disse que “não fez uso de drogas.”

Consta, ainda, no depoimento que, durante uma conversa com o adolescente, José Felipe falou “sobre meter um roubo”, mas que “não tinha faca ou arma de fogo”. Diante disso, ele e o adolescente decidiram ir até a casa de outro amigo – não envolvido no crime –, por volta das 23h de quinta-feira (14). Nas proximidades do imóvel, que também fica no Sudoeste, José Felipe pediu a faca, mas, segundo o relato, não contou o que faria com ela. O amigo subiu ao apartamento, pegou o objeto e se despediu da dupla, conforme o depoimento.

Em seguida, segundo o boletim de ocorrência, José Felipe e o adolescente seguiram em direção a um supermercado para “meter o roubo”. Ele relatou aos policiais ter visto o jornalista perto do estabelecimento e resolveu segui-lo, junto com o adolescente.

No depoimento, o suspeito relata que “aproximou-se do mesmo e o pegou pela gola da camiseta”. Diante da reação da vítima, José Felipe “pegou a faca e começou a esfaqueá-lo a fim de que o mesmo parasse de reagir”. Disse que o esfaqueou “até o mesmo parar” e que, “quando ele caiu”, pegaram “o aparelho celular e a carteira” da vítima.

Adolescente esfaqueado

Ainda no depoimento à Polícia Civil, José Felipe disse que percebeu que “na hora da confusão acabara esfaqueando a perna [do adolescente]”. Diante disso, eles correram. No caminho, “pegou o dinheiro e jogou a carteira da vítima no chão” e, mais adiante, viu que “o aparelho celular era um iPhone” e se desfez do objeto com receio de ser rastreado.

O depoimento segue com José Felipe contando que o amigo que emprestou a faca prestou socorro ao adolescente ferido e que, na residência desse amigo, o menor “trocou de roupa, pois estava todo ensanguentado”. Depois, José Felipe foi para casa. Ao saber da repercussão, no dia seguinte, “pegou um dinheiro que havia em casa, em torno de 565 euros”, e pretendia esconder-se em Paracatu, Minas Gerais. No entanto, passou na Praça do Gavião, no Cruzeiro, onde foi abordado por policiais civis e levado à delegacia.

O amigo de José Felipe que emprestou a faca não foi indiciado pela polícia, mas acabou ouvido pelos agentes.

Relembre o caso

O jornalista da TV Globo Brasília Gabriel Luiz, 29, foi atacado próximo ao prédio onde mora, no Sudoeste, enquanto seguia para casa após sair de um supermercado, na noite da última quinta-feira (14). Os suspeitos desferiram ao menos dez facadas na perna esquerda, no abdômen, no tórax e no pescoço da vítima, que sofreu forte hemorragia.

 

Após os golpes, o jornalista conseguiu correr até o prédio onde mora e pedir ajuda ao porteiro, que chamou socorro. Gabriel Luiz foi levado ao Hospital de Base, onde passou por cirurgias durante a madrugada. Àquele momento, o estado de saúde da vítima era grave, mas estável. Depois do procedimento, já na sexta-feira (15), Gabriel foi transferido para um hospital particular, no Lago Sul.

De acordo com nota divulgada neste domingo (17) pela unidade de saúde, “Gabriel Luiz segue estável e acompanhado pela família. Permanece internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Brasília, sem previsão de alta”.

No vídeo abaixo, de uma câmera de segurança, é possível ver dois suspeitos seguindo a vítima enquanto ele atravessa um estacionamento na região. Trata-se do jovem de 19 anos preso e do menor de 17 anos apreendido, indentificados pela polícia menos de 24 horas depois do crime, investigado como tentativa de latrocínio, roubo com morte.

Repercussão

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, classificou de atentado o ataque ao jornalista. “Recebo com indignação a notícia do atentado — ainda inexplicado — contra o jornalista Gabriel Luiz. Gabriel vocaliza as reivindicações de comunidades do DF, fazendo jornalismo investigativo profundo e sério. Desejo pleno restabelecimento ao profissional”, escreveu Mendes nas redes sociais.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), também usou as redes sociais para comentar o ataque. “Minha solidariedade ao repórter da TV Globo Gabriel Luiz, de 28 anos, esfaqueado na noite passada em Brasília. Na torcida pela sua pronta recuperação. Espero que o crime seja investigado com rigor e que os responsáveis sejam punidos”, escreveu.

OUTRAS NOTÍCIAS