Sindicato defende nova licitação do transporte e teme calote após empresas de ônibus retirarem veículos da frota

O presidente do Sindicato dos Rodoviários de Feira de Santana, Alberto Nery, defende o cancelamento da atual licitação do transporte público no município, e a realização de um novo processo licitatório.

Nery denunciou que as empresas Rosa e São João vem realizando retiradas de veículos da frota, em concordância com o Ministério Público, e teme que haja um novo calote por parte das concessionárias.

Ele informou ao Acorda Cidade, que entrou com uma ação na Justiça para que as empresas Rosa e São João não retirem carros de Feira de Santana para outros estados, mas recentemente houve a retirada de 19 ônibus da empresa Rosa e uma movimentação no último fim de semana para retirada de mais seis veículos. Já com relação à São João, dois carros foram retirados da cidade.

“Nós que representamos os trabalhadores estamos vivenciando nos últimos meses atrasos nos pagamentos salariais, assim como vales e tickets de alimentação, inclusive o plano de saúde foi mudada a data do pagamento por atrasos constantes. Com medo de que venha a ocorrer o mesmo que ocorreu com as empresas Princesinha e 18 de Setembro, nós entramos com uma ação pedindo ao Poder Judiciário que fizesse a retenção dos veículos das duas empresas em Feira de Santana, para que esses carros não sejam retirados sem que venham outros carros para substituir. O juiz concedeu essa liminar, só que nos últimos dois finais de semana as empresas vêm fazendo um movimento, retirando carros da garagem”, declarou o presidente do sindicato.

Ele afirmou que a entidade se reuniu na segunda-feira (28) com o Ministério Público e eles fizeram a alegação de que os carros estavam parados no pátio da empresa.

“Mas porque eles não fizeram essa solicitação ao autor da ação, que é o sindicato, para que pudéssemos averiguar? Eles alegam que os 80 carros que ficariam na empresa São João é maior que o passivo trabalhista que tem com os trabalhadores. Da mesma forma a empresa. Porque eles não fazem as coisas com transparência? Vêm nas madrugadas, nos finais de semana retirar os veículos. Isso causa essa dúvida. Os rodoviários estão trabalhando ultimamente assombrados, com medo de tomarem um calote, como tomaram das empresas anteriores. Queremos conclamar ao poder público para que seja liberado e seja colocado abertamente para que a sociedade saiba por que os veículos estão sendo retirados, se serão substituídos, se a frota vai voltar à sua normalidade, e tiver a garantia que os trabalhadores vão receber seus direitos”, reclamou.

Pagamento dos salários

Alberto Nery salientou ainda que a audiência tratou também sobre os pagamentos dos salários. E que esse mês a empresa Rosa pagou o vale antecipado e a São João pagou no dia 21. De acordo com o sindicalista, as empresas se comprometeram que se as coisas continuarem transcorrendo dentro da normalidade, no dia 5 irão honrar com o saldo de salário dos trabalhadores. Mesmo assim ele alertou durante a entrevista ao Acorda Cidade, que a situação é preocupante.

“Eu já liguei para o prefeito dizendo que se as empresas não estão dando conta que ele suspenda o processo licitatório. Essa licitação já foi para o ralo, porque as empresas eram para estar operando com 243 veículos no sistema. Em consequência da pandemia, a frota foi reduzida. Mas está no edital que a frota teria que ter cinco anos de uso, e praticamente toda a frota já tem mais de cinco anos. Se eles não estão pagando os trabalhadores, imaginem se vão fazer renovação de frota. Então é cancelar essa licitação e fazer um novo processo licitatório em Feira de Santana, com mais empresas para atender melhor nossa população e gerar empregos.”

Informações: Acorda Cidade

OUTRAS NOTÍCIAS