Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Sem alarde, Paulinho Dias ganha espaço com Charles

Sem alarde, Paulinho Dias ganha espaço com Charles

paulinho dias treino2

Mesmo após cinco jogos como titular, ainda é difícil para alguns torcedores localizar Paulinho Dias em campo. Também, pudera: o volante não é adepto de cortes de cabelo extravagantes, não tem qualquer tatuagem – item da moda entre os boleiros – e não abusa das jogadas de efeito.

É numa entrevista pós-jogo e no dia a dia de treinos que a impressão se confirma: Paulinho é absolutamente discreto. Não é do tipo que fala alto com os companheiros, não ‘perturba’ ninguém e não anda à procura das câmeras.

Apesar de todo esse esforço involuntário, tem se tornado mais difícil a cada jogo ignorar a presença do volante. Ainda que de forma pontual, num desarme preciso ou num passe curto, a contribuição dele tem se tornado evidente.

“Sempre tive essa consciência, de que o melhor para o Paulinho Dias é o bem da camisa que ele veste, que hoje é a do Bahia. O que eu puder fazer pelo bem do clube eu vou fazer, em prol de todos, não só de mim”, diz o próprio. “Não quero vaidade, quero apenas ganhar. Até porque sei que isso vai surtir um efeito positivo individualmente num segundo momento”, completa.

Terça, quando o Bahia venceu o Criciúma por 1 a 0 na Fonte Nova, ele liderou o time em passes certos (51) e errou apenas seis. Com o técnico Sérgio Soares, jogava como segundo volante. Teve 144 passes corretos e 15 errados. Nos dois jogos sob comando de Charles, atuou à frente da zaga. Fez 11 desarmes decisivos.
“Sempre fui versátil, mas isso acontece porque trabalho muito, cara. Olhando nos seus olhos, sem demagogia, eu digo: trabalho muito, me dedico muito, tenho o maior orgulho de dizer e de quando reconhecem”, afirma. “Eu me preocupo em treinar em todas as funções porque acho que o futebol moderno pede isso”.

OUTRAS NOTÍCIAS