Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Saiba como tratar a gripe na gestação de maneira segura

Saiba como tratar a gripe na gestação de maneira segura

É só chegar o inverno que o vírus da gripe aparece com frequência. Mas quem sofre ainda mais com o contágio são as grávidas. O corpo da mulher passa por mudanças no sistema imunológico e o organismo ‘abre a guarda’ para não rejeitar o bebê. O processo garante a continuidade da gestação, mas também deixa a futura mamãe mais vulnerável para as infecções.

Os antigripais são proibidos por colocar em risco a vida do bebê. Então, ao menor sintoma é preciso buscar orientação médica. “A gestante deve ligar para o obstetra assim que começar a sentir os sinais característicos da gripe, que costumam ser febre, dor de cabeça e de garganta, além de congestão nasal. Não devem, em hipótese alguma, se automedicar, já que as medicações podem causar taquicardia e queda na pressão arterial”, explica Daniela Machado, ginecologista e obstetra, coordenadora de obstetrícia do Complexo Hospitalar de Niterói.

O tratamento recomendado se resume em hidratação e repouso absoluto, já que há muita perda de líquido. A dica é aumentar o consumo de água, sopas e chás, e ter uma boa noite de sono para revigorar as energias. Para aliviar o desconforto nasal, a mamãe pode usar soro fisiológico para limpeza ou inalação, além de incluir um umidificador no ambiente.

A boa notícia é que a gripe não costuma afetar o bebê, os sintomas são respiratórios e não chegam ao útero. ‘Os casos mais simples são de fácil tratamento, porém o estágio mais agressivo da gripe, ou uma gripe tratada de forma errada, representa uma ameaça real porque pode influenciar no surgimento de outras doenças mais complexas, como pneumonia ou faringite. E aí sim deve haver preocupação com o bebê, o médico tem que ser avisado imediatamente’, finaliza.

Fonte: R7

OUTRAS NOTÍCIAS