Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Policial confirma ter atirado em jovem morto na favela do Jacarezinho

Policial confirma ter atirado em jovem morto na favela do Jacarezinho

Rio de Janeiro – Um policial militar admitiu ter atirado em Jhonatan Ribeiro de Almeida, de 18 anos, na noite da última segunda-feira (25/4). O jovem foi morto na favela do Jacarezinho, na zona norte do Rio. Segundo o agente, ele agiu por legítima defesa.

Em depoimento à Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), o agente, que é cabo do Batalhão de Choque, disse ter visto Jonatan sacar uma arma da cintura após uma abordagem policial. De acordo com o depoimento obtido pelo Uol, ele estaria junto a um grupo de homens vendendo drogas.

Segundo a Polícia Militar, drogas e uma falsa arma de fogo foram apreendidas com a vítima. Testemunhas negam que o jovem tivesse ligação com o crime e que estivesse armado.

“Ele é um menino de bem, trabalhador, trabalha com a minha irmã em venda de roupas, faz entrega. Não estava trabalhando agora porque ele estava para se alistar no quartel e não podia trabalhar de carteira assinada. Agora mataram meu filho com um tiro no peito”, disse a mãe, Monique Ribeiro dos Santos, ao G1.

Em nota ao Metrópoles, a corporação disse que não foi possível prestar socorro à vítima devido a “reação de um grupo de moradores, que arremessou pedras e garrafas em direção à equipe”.

Ainda de acordo com a PM, a ocorrência foi comunicada à DHC, e um processo foi instaurado na Corregedoria Geral da SEPM para apurar o caso. Além disso, as armas empregadas na ocorrência, de acordo com a corporação, já estão à disposição da perícia.

OUTRAS NOTÍCIAS