Morre Michael Gambon, ator que interpretou Dumbledore em Harry Potter, aos 82 anos; Saiba a causa

Morreu nesta quinta-feira, 28, o ator Michael Gambon, que interpretou o mago Albus Dumbledore nos filmes da franquia de Harry Potter, aos 82 anos. De acordo com a nota da família, a causa da morte teria sido uma crise forte de pneumonia.

A informação foi confirmada  pela família do artista e divulgada na agência de notícias PA Media.

“Estamos arrasados em anunciar a perda de Sir Michael Gambon. Amado marido e pai, Michael morreu pacificamente no hospital com sua esposa Anne e seu filho Fergus ao lado de sua cama, após um ataque de pneumonia”, diz a nota da agente de publicidade Clair Dobbs, em nome da esposa do ator e seu filho, Anne e Fergus Gambon. No comunicado, há também um pedido de respeito à privacidade da família.

Michael nasceu em Dublin, na Irlanda, e imigrou para o Reino Unido em 1945. Teve uma longa carreira no teatro e ficou famoso pelas interpretações em peças do escritor Alan Ayckbourn.

Carreira no cinema e no teatro

Apesar de ser mais reconhecido pelo papel do emblemático mago Dumbledore na franquia de filmes de Harry Potter, Michel Gambon marcou a história do cinema com uma dezena de papéis em filmes premiados. No currículo, acumula participações em produções como “Kingsman: O Círculo Dourado” (20917), “Judy” (2019), “O Discurso do Rei” (2010), “O Fantástico Sr. Raposo” (2009), “A Profecia” (2006), “Amazing Grace” (2006), entre outros.

Na franquia de J. K. Rowling, interpretou Dumbledore a partir do terceiro filme, “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban” (2004), após a morte do ator Richard Harris, que interpretou o personagem nos dois primeiros longas.

Apesar de ser um nome reconhecido no cinema, Gambon começou sua carreira como ator no teatro, paixão a qual se dedicou por quase toda a vida. Fez parte do Teatro Nacional, sob a Diretoria Artística do Laurence Olivier, e manteve apresentações no Teatro Nacional Real e no RSC até 2015, quando anunciou sua aposentadoria.

Em 1980, ficou mundialmente reconhecido pelo papel de John Dexter na produção de “Galileo” e foi considerado uma das maiores celebridades do teatro na Inglaterra — a ponto de receber da Rainha Elizabeth II o título de “Sir”.

Prêmios e reconhecimento

Além da coleção de bons papeis no teatro e no cinema, Michael também tem no currículo uma série de prêmios por seus papéis. Foi vencedor do BAFTA Awards nos anos 1987, 2000, 2001 e 2002, indicado ao Emmy Awards por “Parth to War” (2002) e vencedor do SAG Awards de melhor elenco pelos trabalhos em “Gosford Park” (2001).

Ele deixa a esposa e o único filho.

Exame

OUTRAS NOTÍCIAS