Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Mãe denuncia negligencia em atendimento a seu filho na UPA da Queimadinha

Mãe denuncia negligencia em atendimento a seu filho na UPA da Queimadinha

Uma mãe de nome Geisi Barbosa, denunciou através de publicação nas redes sociais, o que considerou uma negligencia por parte do atendimento médico na UPA da Queimadinha em Feira de Santana. Segundo ela, seu filho estaria apresentando quadro de inflamação nos olhos, com dor, febre ocasional e secreção, e ela teria se dirigida a UPA para atendimento, esperando das 16h até as 21h, porém quando sua vez em fim chegou, o medico de plantão a teria atendido da porta, não a deixou entrar se quer no consultoria, a dispensando, com a desculpa que seu filho deveria ser atendido no PSF, já que não estava com febre no momento e ele só atenderia emergências.

Chorando muito e nitidamente abalada ela descreve como ocorreu a situação. “Meu filho está com quadro de inflamação nos olhos deis de sexta feira, esperei por horas na UPA da Queimadinha por um atendimento, cheguei era 16h, só passei pela triagem as 18h, e me chamaram para ser atendida já era 21h, mas o médico nem se quer me deixou entrar, da porta mesmo ja veio me dispensando, falando que meu filho que está com bastante remela nos olhos, agoniado, chorando, não poderia ser atendido porque no momento não estava com febre, e não seria emergência, que ia mandar para ser atendido no posto do bairro. Como pode isso?”, explica a mãe.

“Esperei todo esse tempo, e nem se quer ele olho meu filho, tentei explicar que ele estava tendo febre sim, no momento tinha passado mas ele esta a dias se sentindo mal, com muita remela nos olhos e chorando, mas ele me ignorou e disse que nem atendem isso lá, que era para procurar um oftalmologista. Porque não me avisaram isso quando cheguei? Esperei horas com meu filho no colo,chorando, cansado, irritado e nada bem, com os olhinhos inchados e saindo secreção, e do nada me mandão embora sem neuma receita de um paliativo”, relata.

Ainda segundo a mesma, o mau atendimento não teria sido só com ela, e outras mães uma até com filho recém nascido, também teria sofrido o mesmo tratamento. “Não foi só comigo não, outras pessoas lá estavam sendo muito mau atendidas, e saíram reclamando, uma mãe com uma bebê recém nascida passou pela mesma situação que eu, o médico dispensou e falou que não ia prestar atendimento, pois la não atende ao caso da criança, sem nem se quer olhar para a menina ou para a mãe, da porta mesmo, nem deixaram entrar no consultório, isso é um descaso e desrespeito, negligencia! Eles tinham que pelo menos olhar as crianças e medicar, ou passar uma medicação pra casa, lá é uma emergência de pediatria, se não podemos ser atendidas lá, onde vamos ser?”, conta Geisi.

OUTRAS NOTÍCIAS