Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Fusão do DEM com PSL é aprovada e União Brasil pode ser oficializado

Fusão do DEM com PSL é aprovada e União Brasil pode ser oficializado

O DEM, presidido nacionalmente por ACM Neto, aprovou em convenção realizada nesta quarta-feira (6), em Brasília, a fusão da legenda com o PSL. Agora, o novo partido União Brasil foi formalizado e aguarda aprovação do Tribunal Superior Eleitoral para se oficializar.

Segundo informações do G1, a cúpula do DEM avalia que todo o processo pode durar até três meses até a decisõa dos ministros. Líder nacional do DEM e ex-prefeito de Salvador, ACM Neto já declarou que tem a expectativa de que o União Brasil se consolide como a maior sigla do Brasil em termos de quadros com mandatos.

Neto, contudo, admite que pode perder inicialmente alguns correligionários, principalmente aqueles mais radicais, identificados com o governo Bolsonaro. O tabuleiro político ainda deve ser movido quando o presidente Jair Bolsonaro, sem partido desde 2019, escolha o seu destino. A sua ida para a uma nova legenda pode impulsionar apoiadores a seguirem o seu mesmo rumo.

A fusão pode impactar até aqueles com cargo no Executivo Federal, como o Ministro do Trabalho e da Previdência do governo Bolsonaro e filiado ao DEM, Onyx Lorenzoni, que votou contrário à união dos partidos e pediu para que a posição dele constasse na ata da convenção.

Mesmo com baixas nos dois partidos, o União Brasil deve contar com a maior bancada na Câmara dos Deputados. Atualmente, o DEM tem 28 deputados e seis senadores, e o PSL conta com 54 deputados e uma senadora.

Se o PSL hoje está à frente do PT por um deputado como o partido de maior presença na Câmara, o União Brasil passaria de início a ter 82 deputados.

Bolsonaro deixou o PSL em 2019 após se desentender com Luciano Bivar, que culminou em uma crise no partido e no rompimento com diversos quadros. O presidente tentou a criação de uma outra legenda em que teria completa autonomia, o “Aliança pelo Brasil”, que chegou a ter o número 38 anunciado, em referência ao revólver calibre .38.

Informações: Agência Brasil

OUTRAS NOTÍCIAS