Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Erika Januza fala sobre coroação como rainha de bateria no Dia da Consciência Negra: ‘Me senti presenteada’

Erika Januza fala sobre coroação como rainha de bateria no Dia da Consciência Negra: ‘Me senti presenteada’

Anunciada como a nova rainha de bateria da Unidos do Viradouro em junho desse ano, Erika Januza e a agremiação vinham aguardando o avanço da vacinação contra a Covid e um maior controle da pandemia para que fosse marcada a sua coroação.

A data escolhida pela escola foi o dia 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, que Erika tratou de festejar como um presente.

Erika Januza: rainha vai se apresentar com passistas durante sua coroação — Foto: TV Globo/Divulgação

“A minha coroação ser no dia 20 de novembro é muito especial para mim. Dia da Consciência Negra, uma data simbólica e que existe para lembrar da força e importância da minha raça. Sempre reverencio todos que vieram na minha frente, abrindo caminhos, janelas, portas… Por causa deles, eu hoje posso realizar sonhos. E essa coroação é mais um sonho que estou realizando”, diz.

Rainha vai se apresentar com passistas

Mas a rainha da vermelho e branco de Niterói também quer presentear a agremiação que a recebeu de braços abertos.

A coroação, que será precedida por uma feijoada e terá shows de Jorge Aragão e do Cordão da Bola Preta, contará ainda com uma apresentação da nova rainha ao lado das passistas da Viradouro.
Para isso, ela vem ensaiando com Valci Pelé, que é coreógrafo e coordenador da ala dos passistas da escola.

Erika e Mestre Ciça: rainha está em casa — Foto: Divulgação/Erik Glauber

Erika e Mestre Ciça: rainha está em casa — Foto: Divulgação/Erik Glauber

“Fui muito bem recebida por todos, e todo dia tenho algo para agradecer aos presidentes Marcelo Calil (de honra) e Marcelinho Calil, ao consagrado mestre Ciça e ao time fabuloso de ritmistas que ele comanda. A data para a minha coroação, inclusive, foi uma sugestão dos presidentes. Me senti presenteada. Uma mulher, negra, sendo coroada rainha de uma escola tão tradicional, me enche de orgulho”, diz.

Erika diz ainda que a data, agora ainda mais especial para ela, tem simbologia de luta e de esperança.

“Que esse momento (coroação) seja uma chama de esperança, que as mulheres negras sejam respeitadas e valorizadas não só neste dia, mas em todos os outros. Que o povo negro seja respeitado sempre”

Erika Januza: mesmo sem ter sido coroada, ela já está frequentando os ensaios da escola — Foto: Divulgação/Erik Glauber

Erika Januza: mesmo sem ter sido coroada, ela já está frequentando os ensaios da escola — Foto: Divulgação/Erik Glauber

Erika Januza, a nova rainha de bateria da Viradouro — Foto: Divulgação/Erik Glauber

Erika Januza, a nova rainha de bateria da Viradouro — Foto: Divulgação/Erik Glauber

Informações: G1

OUTRAS NOTÍCIAS