Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Enfermeira morre após plástica e família acusa cirurgião de erro médico

Enfermeira morre após plástica e família acusa cirurgião de erro médico

Nas redes sociais, o médico fazia propaganda de promoções do estilo: “lipo + harmonização facial pelo preço x, aproveite”. Como se se tratasse da venda de um combo de hambúrguer com batata frita. Ele também chamava mulheres sem plástica de “bruxas” e falava que crianças com orelhas de abanos eram infelizes. Trata-se do médico Renato Cazaes, que, segundo reportagem que foi ao ar no domingo (13) no programa “Domingo Espetacular”, da Record, realizou procedimentos sem autorização na enfermeira Raquel Huon, de 34 anos, que morreu alguns dias depois do procedimento.

O caso aconteceu em outubro do ano passado e é chocante. Raquel teria procurado o médico depois de perder mais de 20 quilos, para fazer uma cirurgia para remover o excesso de pele nos braços (braquioplastia). Durante as consultas, ela teria sido convencida pelo médico a fazer também uma lipo. Na hora da cirurgia, ela teria ficado com medo e mudado de ideia. O médico não a levou a sério.

Pelo contrário. Como tinha material sobrando, segundo os familiares da vítima, eles fizeram também uma lipoescultura, preenchimento nos glúteos e uma harmonização facial. Tudo sem o consentimento da paciente, que estava anestesiada. Sim, eles trataram a enfermeira como cobaia.

Imagina isso, você marca uma lipo no braço e acorda com o rosto transformado. Já seria horrível e injustificável, mas o caso virou uma tragédia, já que Raquel morreu dias depois por complicações da cirurgia. Agora, a polícia investiga o caso e o médico removeu ou limitou suas contas nas redes sociais.

Informações: Feira 24H

OUTRAS NOTÍCIAS