Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Em 3° dia de protesto moradores fazem café da manhã e mantem revindicação de retorno das linhas de ônibus à zona rural de Feira de Santana

Em 3° dia de protesto moradores fazem café da manhã e mantem revindicação de retorno das linhas de ônibus à zona rural de Feira de Santana

Os moradores da zona rural de Feira de Santana, segunda maior cidade da Bahia, cerca de 100 km distante de Salvador, que fazem um protesto na sede da empresa Rosa, fizeram um café da manhã nesta sexta-feira (29), terceiro dia de ato.

Os manifestantes chegaram na madrugada de quarta-feira (27), por volta de 1h, se concentram na porta da garagem e impedem a saída dos 65 ônibus, que costumam sair às 4h.

A companhia era responsável por fazer o transporte para os distritos do município. Em 2020, a empresa deixou de prestar o serviço alegando que o município não cumpria cláusulas do contrato.

Por isso, a empresa São João assumiu o serviço. No entanto, desde sábado (23), a companhia também deixou de realizar o transporte para a zona rural sob alegação de descumprimento do contrato por parte da prefeitura.

Na quinta-feira (28), a Justiça determinou que o grupo que estava na porta da garagem da empresa Rosa deveriam encerrar o ato. A ordem foi assinada pelo juiz Nunisvaldo dos Santos, da 2ª Vara da Fazenda Pública, e prevê aplicação de multa diária de R$ 5 mil e a responsabilidade civil, penal e administrativa dos responsáveis pela organização em caso de descumprimento.

No entanto, até a publicação desta reportagem, o ato continuava.

Situação de emergência

O prefeito de Feira de Santana, Colbert Filho, declarou situação de emergência no serviço de transporte público urbano e rural da cidade. A informação foi publicada em uma edição extra do Diário Oficial do município na quinta-feira (28).

Na publicação, o gestor permite que o serviço seja feito de forma direta pela Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), ou indiretamente em caráter emergencial. A medida tem como objetivo regularizar o serviço público.

Logo, em caso de abandono, paralisação ou suspensão do serviço, outra empresa pode ser designada a atuar nas linhas sob responsabilidade da empresa Rosa (Lote A “Norte”). As ordens de serviços estabelecidas terão caráter emergencial e temporário.

A nova concessionária que for assumir as linhas transferidas pelo município, após notificação emitida à empresa Rosa, deve preencher os requisitos legais de trafegabilidade.

Transporte urbano

Após pagamento de salários, rodoviários de Feira de Santana encerram paralisação e ônibus voltam a circular — Foto: Divulgação/SMTT

Após pagamento de salários, rodoviários de Feira de Santana encerram paralisação e ônibus voltam a circular — Foto: Divulgação/SMTT

Os rodoviários da empresa São João, que trabalham no transporte urbano de Feira de Santana, fizeram uma paralisação na cidade, na segunda-feira (25), por causa de atraso no pagamento dos salários. Os veículos voltaram a circular após acordo e pagamento dos valores.

De acordo com a prefeitura de Feira de Santana, a paralisação foi iniciada no último sábado (23), pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários (Sintrafs), e afetou 82 linhas do Sistema Integrado de Transporte (SIT), além de comprometer 27 linhas do Sistema de Transporte Público Alternativo e Complementar (STPAC).

Por causa do protesto, ônibus permanecem sem sair da garagem em Feira de Santana — Foto: Divulgação/Prefeitura de Feira de Santana

Por causa do protesto, ônibus permanecem sem sair da garagem em Feira de Santana — Foto: Divulgação/Prefeitura de Feira de Santana

Informações: G1

OUTRAS NOTÍCIAS