Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Diretor do Hospital de Campanha alerta para alta no número de casos da Covid-19 e nível de ocupação dos leitos de UTI

Diretor do Hospital de Campanha alerta para alta no número de casos da Covid-19 e nível de ocupação dos leitos de UTI

Feira de Santana vem enfrentando uma nova alta no número de casos da Covid-19 e nível de ocupação dos leitos de UTI na cidade.

De acordo com o diretor médico do Hospital Municipal de Campanha Dr. Francisco Mota, 15 dos 18 leitos de UTI disponíveis na unidade, estão ocupados, número que representa uma taxa de 83% de ocupação.

‘O número é preocupante. Quando a gente atinge uma lotação dessas, há uma possibilidade de faltar leitos de UTI. Os leitos em Salvador estão com ocupação muito altas também, o que também preocupa muito’, afirmou, em entrevista ao Bom Dia Feira, na manhã desta terça-feira (16).

De acordo com Francisco, o aumento, porém, não indica o início de uma terceira onda na cidade, já que, desde o início da segunda onda, ainda não houve uma queda expressiva no número de casos que comprovasse o término desta fase.

‘A gente não teve diminuição depois do início da segunda onda, os casos não estabilizaram e diminuíram, então não seria uma terceira onda, tivemos uma queda pequena que também está relacionada a vacina, mas o que se observa nas UTIs é que tivemos uma semana anterior um pouco mais tranquila no número de casos, mas que voltou a crescer rapidamente, me parece que ainda não atingimos o pico da segunda onda’, diz.

A preocupação, conforme destaca o médico, deve aumentar nas próximas semanas, já que, os efeitos das grandes aglomerações registradas durante este período de carnaval, mesmo com as tradicionais festas populares canceladas, só devem ser sentidos em duas ou três semanas.

‘Vimos, esse final de semana, aglomerações absurdas, uma coisa muito louca como se tivessem todos imunizados. Boa parte das pessoas sequer foram vacinadas e já decretaram o fim da pandemia, poucas pessoas estão vacinas, não há quantidade suficiente e não sabemos quando isso vai acontecer, por isso é necessário manter os cuidados e protocolos que a gente já conhece’, destaca Francisco, fazendo um apelo: ‘Pessoas, tenham cuidado e evitem aglomerações, mantenham cuidados com a higiene pessoal e usem máscara sempre’.  

Uma outra preocupação referente ao vírus refere-se as novas variantes que vêm sendo identificadas em parte do país. Fato que o diretor médico afirma ‘não ter como impedir’.

‘Não foram identificadas infecções pela nova cepa do vírus aqui em Feira de Santana, alguns casos foram investigados, mas não verificamos nenhuma variante. Só que não tem fronteiras, naturalmente as variantes serão encontradas daqui para frente, não tem como impedir isso’, alerta.

OUTRAS NOTÍCIAS