Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Bolsonaro seria reeleito se eleição fosse hoje, diz pesquisa

Bolsonaro inclui salão, barbearia e academia como ‘atividades essenciais’

A pesquisa eleitoral do site Exame/Ideia, divulgada nesta sexta-feira (9), mostrou que o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), seria reeleito para um segundo mandato se o pleito fosse realizadas hoje.

No recorte da disputam em primeiro turno, Jair Bolsonaro teria 30% das intenções de voto, contra 18% do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e 10% do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro (sem partido).

A pesquisa mostra que o ex-candidato à presidência da República, Ciro Gomes (PDT), teria 9% eleitorado, o apresentador Luciano Huck (sem partido) aparece 5% e o atual governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com 4%.

A pesquisa considerou também os nomes do ex-ministro da Saúde e atual deputado federal, Luiz Henrique Mandetta (DEM), que apareceu com 3% das intenções de voto. A ex-ministra do Meio Ambiente do governo Lula, Marina Silva (Rede), soma 2%; o empresário João Amoedo (Novo) e o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), aparece com 1%.

O número de votos em branco e nulo somam 9% dos entrevistados; os que “não sabem” somam 10%.

Em uma perspectiva de segundo turno, Bolsonaro (Sem Partido) derrotaria Moro (Sem Partido) com 41% dos votos contra 35% do seu ex-ministro. Contra Lula (PT), Bolsonaro teria 43%, contra 33% do petista. Em um confronto com Doria (PSDB), a vantagem de Bolsonaro seria ainda maior: 42% das intenções de voto contra 21% do tucano.

A pesquisa ouviu 1.200 pessoas, por telefone, em todas as regiões do país entre os dias 5 e 8 de outubro. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Recortes

O presidente da República também venceria em todos os cenários nos recortes por escolaridade e região. Bolsonaro teria maior vantagem entre os eleitores com ensino fundamental (37%). Por localização geográfica, a maior margem de Bolsonaro seria no Norte (38%), seguido por Centro-Oeste (35%) e no Nordeste (31%).

O presidente também seria reeleito levando em consideração o critério de renda. A maior vantagem de Jair Bolsonaro está entre os eleitores da classe C, em que 31% disseram que escolheria ele. Nas classes A e B o presidente teria 27% das intenções de voto. Já entre os mais pobres, das classes D e E, 24%.

OUTRAS NOTÍCIAS