Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Após filiação de Bolsonaro, Thammy Miranda anuncia saída do PL

Após filiação de Bolsonaro, Thammy Miranda anuncia saída do PL

O vereador paulista Thammy Miranda, eleito pelo PL em São Paulo, anunciou a saída do partido após a filiação do presidente Jair Bolsonaro.

Além do chefe do Executivo, também se filiaram a legenda  na última terça (30) o senador Flávio Bolsonaro e o atual ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

“Com a ida do presidente para o Partido Liberal, o PL, partido do qual eu faço parte, eu tô dando entrada na minha desfiliação. Eu vou sair do partido”, anunciou Tammy por meio de vídeo publicado em suas redes sociais.

Ele acrescenta que o presidente tem “ideias diferentes”, e que ele já foi vítima de ataques pessoais por parte de membros da família Bolsonaro.

Em janeiro do ano passado, o vereador fluminense Carlos Bolsonaro (PSC) publicou uma foto nas redes sociais do nascimento do filho de Thammy com sua esposa, Andressa Ferreira, sem qualquer legenda.

A cantora Gretchen, avó bebê e mãe de Tammy, disse que processaria o filho do presidente. “Qual foi o objetivo desse post ridículo na sua página? Você precisa da imagem do meu filho para fazer gracinhas na internet, né? Queria poder assumir a sua posição e não pode. Triste né?”, escreveu na ocasião.

Posteriormente, Carlos voltou a publicar fotos do casal e seu filho, ignorando a ameaça. Posteriormente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), irmão de Carlos, criticou a Natura por uma campanha publicitária no Dia dos Pais daquele ano estrelada por Thammy – um homem trans.

“Mulher como garoto propaganda do Dia dos Pais. Depois homem para o Dia das Mães… E quem falar o contrário já sabe né, é gado, é pessoa raivosa, discurso do ódio e fake news. Assim vão te calando e empurrando goela abaixo uma conduta totalmente atípica para padrões brasileiros”, escreveu.

Ainda em seu pronunciamento, Tammy prometeu seguir com seu mandato “sem se preocupar com partido”, e “ouvindo gente”. “Eu não entrei na política para atacar ninguém ou desrespeitar qualquer pessoa que seja. Não entrei para lutar contra políticos, e sim para lutar pela nossa gente”, afirmou.

Informações: BN

OUTRAS NOTÍCIAS