Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Ano letivo começa na rede estadual com investimentos da ordem de R$ 83 milhões

Ano letivo começa na rede estadual com investimentos da ordem de R$ 83 milhões
Cerca de 600 mil estudantes da rede estadual voltam para as salas de aula em toda a Bahia. Durante evento que marcou o início do ano letivo de 2022, nesta segunda-feira (7), na sede do Instituto Anísio Teixeira (IAT), em Salvador, o governador Rui Costa entregou equipamentos e anunciou investimentos da ordem de R$ 83 milhões para a rede estadual. O evento contou com a presença do secretário da Educação, Jerônimo Rodrigues, e com uma palestra virtual da professora e escritora Conceição Evaristo.
Foram entregues 200 kits para arenas de lutas, 100 kits de robótica com impressoras 3D, cerca de cinco mil computadores e 15 mil chromebooks, 100 óculos com tecnologia de leitura para estudantes cegos ou com baixa visão e ainda 100 kits de fanfarras. Rui autorizou também a ampliação e a modernização do Colégio de Aplicação Anísio Teixeira, com a construção de 24 salas de aulas, cobertura de quadra poliesportiva, campo society, pista de atletismo e piscina.
“Eu tenho absoluta convicção de que, em um estado que carrega secularmente indicadores de pobreza muito fortes, a educação é uma ferramenta que pode transformar isso. Apostando em robótica, em ciência, em arte e cultura, nós vamos mobilizar essa juventude para a aprendizagem. Não existe outro caminho. É formar, capacitar, estimular e educar nossa juventude. Esse é o caminho para a gente dar um salto em nosso estado, e eu fico feliz e emocionado disso estar dando certo”, afirmou o governador.
Durante a aula inaugural, os estudantes prestaram depoimentos e ocuparam o espaço com placas contendo os nomes dos diversos programas oferecidos pelo Governo do Estado. “Nós fizemos uma formatação para que o Programa Partiu Estágio unificasse a seleção dos estagiários, com inscrição pela internet. São mais de 20 mil vagas para estudantes de toda a rede pública. Nas inscrições, 96% desses estudantes se declararam negros ou pardos e 80% eram mulheres. Então, as vagas deixaram de ser preenchidas por indicação de diretores de órgãos, coordenadores, ou qualquer outro tipo de facilitação pessoal”, destacou Rui.
O governador ressaltou ainda a criação do Programa Outras Palavras. “Com o Outras Palavras, agora nós queremos dar um reforço em outras línguas, em inglês, espanhol, francês, começando pelo inglês. Para os jovens que querem fazer medicina, computação ou outras universidades, essas línguas são muito importantes. Por isso, nós vamos oferecer, por meio de editais, vagas para esse curso de língua na rede estadual”.

Segurança e preparação

O secretário Jerônimo Rodrigues garantiu que as escolas estão preparadas com protocolos de segurança para evitar a propagação da Covid-19. “Nós estamos, desde os últimos quatro meses de 2021, tendo aulas presenciais. Foi um momento de aprendizagem, para a gente testar os protocolos, para orientar os professores, os servidores e, naturalmente, os colegiados escolares. Nós temos a garantia de dizer que a escola é um lugar seguro. Nós já temos servidores vacinados e, portanto, se todos os estudantes se vacinarem, nós teremos um ambiente mais seguro, com protocolos, máscara, distanciamento e vacinação”.
Jerônimo também falou sobre a preparação dos professores e diretores. “Nós tivemos, na semana passada, a jornada pedagógica, em que nós planejamos as atividades pedagógicas. Fizemos toda a formação dos professores e dos gestores e aproveitamos para discutir a estrutura da escola. Nós tivemos enchentes, chuvas e algumas escolas tiveram prejuízo. Nós tivemos tempo suficiente para corrigi-las, mas também para discutir os preparativos e os protocolos. E assim nós queremos que essa semana agora seja um momento, inclusive, de busca ativa para os estudantes que não fizeram matrícula por completo”.
Palavra de estudante
Jhuly Borges, 15 anos, estudante do segundo ano no Centro Integrado Maria Falcão, em Itabuna, enxerga na rede estadual um apoio para alcançar seus objetivos. “O meu sonho é cursar medicina e ter a minha própria clínica. E tudo o que aconteceu aqui hoje é resultado do que a Secretaria da Educação vem discutindo com os líderes de classe, com todos os estudantes envolvidos. Isso aqui hoje foi apenas um reflexo para mostrar o quão importante é o nosso protagonismo estudantil. Estamos hoje representando não somente as nossas falas, mas centenas de pessoas que buscam a realização de um sonho”.
Musicista, Sofia Leão, 16 anos, é estudante do Colégio Petronílio da Silva Prado, em Pindaí. Ela toca moda de viola e já mira a vida de artista profissional. “Eu, desde sempre, quis terminar meus estudos e fazer uma faculdade depois. Estudar na escola pública é o meio que eu tenho, pois não temos condições de entrar para a faculdade particular. E o que eu vi aqui hoje foi uma renovação, trazendo mais oportunidades para a escola pública. Na minha escola, esses acessórios de fanfarra serão importantes. Aposto que, a partir daqui, muita coisa vai acontecer”.
Informações: SEC

OUTRAS NOTÍCIAS