Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Voto Impresso: Arizona pode ter descoberto 255 mil cédulas de votos fraudadas nas eleições dos EUA

Voto Impresso: Arizona pode ter descoberto 255 mil cédulas de votos fraudadas nas eleições dos EUA

Circula nas redes sociais um vídeo afirmando que as eleições americanas foram fraudadas, logo, o ex-presidente, Donald Trump, estaria voltando, apoiado pelos militares. Um leitor pediu ao MonitoR7 que verificasse uma das publicações que contém esse vídeo.

A publicação reproduz uma live de um canal de Youtube. Na live, os participantes discutem a informação de que teriam sido descobertos 255 mil votos irregulares e mais de um milhão de arquivos apagados na eleição presidencial americana de 2020, no estado de Arizona. E, graças a estas descobertas, o Exército dos Estados Unidos teria publicado uma carta demonstrando apoio ao ex-presidente, Donald Trump. Ambos os vídeos contam com milhares de visualizações

Quanto à “descoberta” de 255 mil votos irregulares, pode-se afirmar que é recente e vem sendo contestada. Ela foi anunciada depois de uma auditoria das eleições de 2020 no condado de Maricopa, no Arizona, realizada por uma empresa contratada pelo partido Republicano. A empresa é a Cyber ​​Ninjas, com sede na Flórida.

Desde do anúncio do começo da auditoria, diversos políticos, tanto democratas como também republicanos, criticaram a maneira que ela foi feita, pela falta de técnica e experiência ao conduzir avaliações desse tipo.

Diversas empresas e especialistas na área também criticaram a auditoria, inclusive chamando de “risível” e que a Cyber teria “inventado números”. Foi o caso de Larry Moore, fundador e diretor executivo aposentado do Clear Ballot Group (que foi pioneiro em auditorias independentes) e muitos outros membros da empresa.

A ironia é que os resultados da pesquisa mostraram que Biden, na verdade, ganhou votos, enquanto Trump perdeu. Os especialistas afirmam que isso foi uma manobra para criar mais desinformação e desconfiança contra as eleições, ao invés de ter resultados precisos.

Além de que o condado de Maricopa, segundo maior condado do Arizona e o principal envolvido nessa polêmica, realizou duas auditorias independentes e apartidárias de seus resultados eleitorais antes que os republicanos estaduais contratassem a Cyber ​​Ninjas. Ambas asseguraram que não houve fraudes.

Vários funcionários republicanos do condado, incluindo alguns que fizeram campanha publicamente para Trump, criticaram a auditoria apoiada pelo ex-presidente e parte do seu partido e disseram que seus resultados não são confiáveis.

Sobre a carta apresentada como sendo do Exército americano, é evidente que ela não partiu de qualquer órgão oficial dos Estados Unidos, inclusive os militares. Ela possui erros de grafia, até mesmo em sua sigla (que é famosa por ser US Army, mas na carta está como USA Army). Além disso, o documento apresenta diversas menções a teorias conspiratórias extremistas, que nunca foram referendadas pelo Exército dos Estados Unidos..

O MonitoR7 também não encontrou nenhuma evidência dessa correspondência em sites oficiais do governo americano. No site do Exército, a única notícia do dia 24 de setembro(data da carta) é sobre um contrato de proteção indireta contra incêndios.

Informações: R7

OUTRAS NOTÍCIAS