Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Véspera do Dia das Crianças reaquece comércio Feirense; Brinquedos em conta são os mais procurados

Véspera do Dia das Crianças reaquece comércio Feirense; Brinquedos em conta são os mais procurados

A decisão pela abertura do comércio de Feira de Santana nesta segunda-feira (11), se mostrou acertada por parte do poder público, e trouxe um aquecimento nas vendas do setor.

A esperança das crianças de ganharem o aguardado presente no dia 12 de Outubro, o Dia das Crianças, também trouxe uma renovada esperança de melhoria nos lucros para os comerciantes feirenses, e uma perspectiva de início de recuperação da crise trazida pela pandemia do Covid-19.

Elisângela, gerente da America Import, loja de variedades, na Rua Marechal Deodoro, conta que, comparado ao mesmo período em anos anteriores, o movimento está bem menor, mas vem mostrando tendência de melhora. “Comparado a antes da pandemia, as vendas ainda estão muito a baixo da média, mas vem melhorado. Hoje aqui já vieram muitas pessoas comprarem brinquedos para o dia das crianças, alguns até já esgotaram, principalmente os mais baratos, como bolas e bonecas”, explica.

Segundo o vendedor Edimilson, o movimento cresceu bastante nos últimos dias, e nesta véspera do dia 12, teve uma alta exponencial. “A procura está muito alta, estamos tendo que repor prateleiras a todo momento, dá um trabalhinho, mas é gratificante, principalmente depois da crise que vivemos, podemos ver uma esperança de retorno à normalidade”, diz.

Ed como é chamado pelos colegas, revela que algumas das pessoas que foram a loja, compraram brinquedos em grande quantidade para doação. “Tivemos aqui muitos clientes que compram brinquedos em grande quantidade para doação e eventos para crianças carentes, como carrinhos, bolas, e bonecas. É muito bonito ver essa atitude nas pessoas. As bonecas negras em geral tiveram bastante saída, por conta da representatividade, que hoje em dia felizmente está cada vez mais em alta”, conta.

Meire é enfermeira e faz um evento para crianças carentes em sua comunidade, e diz que desde o início do mês vem comprando brinquedos e itens de decoração para o evento. “Mesmo com a crise, não quis deixar essa data tão especial passar em branco, ver o sorriso e a alegria nos olhos das crianças não tem preço”, relata.

Já a dona de casa Cristiane que foi de última hora correr para comprar o presente da garotada, conta que busca unir o bolso a vontade das crianças. “Como todo brasileiro a gente sempre deixa para última hora, mas não pode deixar a data passar. A crise está ai, e todo mundo está passando suas dificuldades, então o jeito é tentar unir o barato com o que vai deixar a criança feliz, ainda mais no meu caso, que é filho, sobrinho, afilhado, a garotada é grande, então para dar conta tem que agradar o bolso e a criançada”, confessa.

OUTRAS NOTÍCIAS