Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Vereador acusado de agredir a filha em Campo Formoso é preso

Vereador acusado de agredir a filha em Campo Formoso é preso

Presidente da Câmara de Vereadores de Campo Formoso, José Alberto de Carvalho (PSD), conhecido como Zé Lambão, foi preso por porte ilegal de arma de fogo na tarde desta quinta-feira (16).

De acordo com a Polícia Civil da Bahia, José Alberto foi alvo de um mandado de busca e apreensão emitido pela 19ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Senhor do Bonfim) após denúncias de filha de que ele teria uma arma não registrada em casa.

A polícia cumpriu o mandado nas primeiras horas da manhã de hoje, na chácara de propriedade do vereador, mas acabou não encontrando a pistola. Horas depois, Lambão se apresentou à polícia acompanhado de um advogado, porém ao informar que a pistola estava em seu carro, foi autuado em flagrante.

Agressão recente

O edil foi acusado no domingo (12) de ter agredido e ameaçado sua filha de 18 anos. A estudante de medicina Rafaella Carvalho publicou uma sequência de stories em seu Instagram denunciando o próprio pai.

Nos vídeos, a jovem disse que estava com o político quando ele começou a questioná-la sobre a faculdade. Em um determinado momento da conversa, ao se desestabilizar emocionalmente e começar a chorar, ao ouvir que “não iria conseguir terminar a graduação”, ela levou vários socos do pai causando ferimentos no rosto, pescoço e braços.

Histórico

Em 2016, Zé Lambão foi acusado de homicídio qualificado por supostamente ter matado um homem durante uma discussão em um bar de Campo formoso. À época do crime, o site G1 informou que um eleitor fez uma cobrança após o político prometer levar água encanada a uma comunidade caso fosse eleito . Depois da discussão, ele teria retornado ao bar portando uma arma. A vítima não resistiu e morreu no local.

Em outubro de 2018, a defesa do vereador entrou com recurso na Justiça alegando que o caso se tratava de legítima defesa. A 2ª Turma da Segunda Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia decidiu por unanimidade a negação do recurso. Ele, no entanto, foi solto.

OUTRAS NOTÍCIAS