Veja a chegada de suspeitos a restaurante de Salvador onde mulher foi morta com tiro na cabeça

Eliane Sanson, de 52 anos, estacionou o seu carro, por volta das 19h30 de terça-feira (20), na Avenida Octávio Mangabeira, na Boca do Rio, em Salvador, e caminhou até um restaurante do bairro, onde um grupo de amigos a esperava para um confraternização de fim de ano. Dentro do estabelecimento, ela foi morta após ser baleada na cabeça durante um assalto cometido por dois homens.

Uma câmera de segurança instalada nas imediações do local do crime mostra a chegada da dupla de assaltantes. É possível ver eles indo em direção ao restaurante onde a vítima estava. Quando foi abordada pelos suspeitos, Eliane teria se assustado e puxado a bolsa que um dos suspeitos tentava arrancar à força das suas mãos. Segundo a TV Record Itapoan, um colega que assistia o crime chegou a lançar uma cadeira contra um dos homens armados.

Após ser baleada na cabeça, a mulher continuou respirando e foi socorrida por uma equipe de policiais que foram acionados para atender a ocorrência. Eliane chegou a ser levada para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas não resistiu ao ferimento provocado pelo projétil de arma de fogo. Os homens fugiram logo após o latrocínio e, até o final da manhã desta quarta (21), não haviam sido identificados e presos pela polícia. O caso está sendo investigado pelo Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP).

Vítima

A vítima era natural de Cachoeiro de Itapemirim, interior do Espírito Santo, casada há 20 anos e não tinha filhos. Ela trabalhava como vendedora em uma concessionária de veículos localizada no bairro Graça. Nas redes sociais familiares lamentaram ter perdido a mulher para a violência. O sepultamento dela será às 17h, no Cemitério Jardim da Saudade, em Brotas.

“Sofrendo. Um assalto e acabaram com nossos festejos, com a vida de um ser humano incrível. Perdemos um membro. Uma pessoa adorável. Luto na alma. Peço orações para minha sobrinha vitimada num assalto […] Peço por todos nós que não teremos clima para comemorar as festas. A dor existe e sofrer hoje não é opcional”, desabafou uma tia.

“Ainda não estou acreditando que você se foi. Te vi no sábado e no domingo. Sempre tão feliz, mas foi tão rápido que nem deu tempo da gente se falar direito e foi nosso último adeus. Quero lembrar de você sempre feliz”, publicou uma outra familiar.

Fonte: B News

OUTRAS NOTÍCIAS