Tempo de provas: como a escola pode auxiliar na saúde mental dos alunos?

Anxious Teenage Student Sitting Examination In School Hall
Anxious Teenage Student Sitting Examination In School Hall

O período escolar é, sem dúvidas, uma das etapas mais importantes no desenvolvimento de crianças e adolescentes. Afinal, é na escola que as crianças começam a socializar com mais pessoas que fogem de seu ambiente familiar, e toda a dinâmica escolar tende a ser um desafio para o cidadão que se forma. Nem sempre é fácil adaptar o seu filho à rotina da escola, sobretudo no período de provas – em que a pressão nos alunos costuma ser ainda maior.

E quando se fala em provas, sem dúvidas as mais temidas são as de vestibulares de faculdades públicas e privadas, ou mesmo do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Os adolescentes de 15 a 17 anos, que começam a se preparar para adentrar à vida adulta, certamente sentem uma pressão bem maior para lidar com as provas. Alguns problemas como ansiedade, depressão e até mesmo outros transtornos podem ser aflorados nesse período, o que infelizmente atrapalha o próprio desempenho escolar e a vida social dos alunos.

Mas, afinal, o que a escola poderia fazer para auxiliar na saúde mental dos alunos? Confira algumas dicas abaixo.

Como identificar se um aluno está passando por problemas

Em um período pós-pandêmico como o que passamos, identificar problemas emocionais nos alunos pode ser um desafio e tanto. Principalmente porque, após quase três anos de aulas remotas em que muitos perderam parentes ou pessoas queridas, é inevitável que todos se sintam abalados emocionalmente.

No entanto, existem alguns sinais que são muito preocupantes de se observar nessa retomada das aulas presenciais, e em conjunto com as provas de vestibular, como isolamento social, aluno mais silencioso e resistente ao contato, ou mesmo mais raivoso ou disperso. Geralmente os alunos que estão destoando do restante da turma se tornam perceptíveisl aos olhos dos educadores, e isso é fundamental na hora de oferecer ajuda ao aluno.

Para os educadores, vale também a dica de tentar agrupar os alunos por grupos em seus relatórios individuais de trabalho, como os que estão lidando bem com a pressão volta às aulas presenciais + provas e os que não estão. Isso ajudará nas reuniões para debater como acolher melhor os alunos que não estão respondendo bem aos estímulos da vida escolar e social.

Alguns dos principais sintomas são sonolência excessiva, muitas faltas, aluno isolado dos colegas da sala, interrupções frequentes da aula ou outros problemas.

O papel da escola no auxílio à saúde mental dos alunos

De acordo com uma pesquisa da Datafolha encomendada pela Fundação Lemann, Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Itaú Social divulgada em julho de 2022, mais de 30% dos alunos apresentam dificuldade para controlar suas emoções desde que voltaram às aulas presenciais. Esse percentual aumenta para 40% quando focamos especificamente nos alunos do Ensino Médio. 

Ainda, 24% dos alunos se sentem sobrecarregados e outros 18% se mostram tristes ou deprimidos. Apenas 40% recebem algum tipo de apoio emocional ou psicológico nas escolas. A pesquisa foi respondida pelos pais e/ou responsáveis pelos alunos.

Esse é um cenário desafiador para as escolas e os profissionais da educação. A formação humanizada da faculdade de pedagogia tem papel fundamental no acolhimento dos alunos, e algumas medidas podem ser tomadas para que eles se sintam menos pressionados nesse cenário.

Dentre as ações de acolhimento possíveis para a escola fazer, estão:

Diálogo aberto com os alunos

É extremamente importante ensinar aos alunos que eles devem compartilhar os seus sentimentos, principalmente no período pós-pandemia e de provas de vestibular. Todos se sentem pressionados e tristes de alguma maneira, e ter um diálogo aberto pode ajudar a promover identificação, mais interação e alívio de tensões. Rodas de conversa em que os alunos tragam os temas a serem debatidos também é uma ótima maneira de torná-los protagonistas das conversas.

Disponibilizar um profissional de psicologia

Outro ponto importante é que a escola ofereça ao aluno um atendimento psicológico, se possível. Sobretudo para fazer um atendimento inicial aos casos mais graves. Desta maneira, os alunos sentem que a escola se importa com eles, e podem se sentir mais motivados.

Mais interações entre alunos e professores

A escola pode promover eventos ou passeios para que os alunos consigam se desprender do ambiente escolar, que costuma ser mais rígido, sem que necessariamente estejam longe do conhecimento: atividades voltadas para a interdisciplinaridade podem ser bastante interessantes para aliviar tensões sem deixar o aprendizado de lado.

Fonte: acorda cidade

OUTRAS NOTÍCIAS