Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Servidores efetivos perdem gratificações enquanto temporários recebem vantagens de quase 30 mil reais

Servidores efetivos perdem gratificações enquanto temporários recebem vantagens de quase 30 mil reais
Durante a pandemia da Covid-19, diversos servidores municipais foram surpreendidos com cortes das gratificações, enquanto cargos temporários da Prefeitura permanecem com vantagens de quase 30 mil reais. A situação foi exposta pelo presidente da Associação dos Motoristas, Operadores de Máquinas e Mecânicos, Waldeck Fause, que utilizou a tribuna livre da Casa da Cidadania na sessão de ontem (15).
Motorista da Prefeitura, Waldeck destaca que o cargo de diretoria do seu setor recebe vantagens de R$28.300,00. Ele acrescenta que existem outros funcionários temporários que, ainda em meio à pandemia do coronavírus, tiveram os adicionais mantidos. Em contrapartida, os servidores efetivos lidam com cortes de gratificações garantidas pela Lei  Complementar Nº 1/94, que dispõe sobre o Estatuto, Previdência e Sistema de Carreira dos Servidores de Feira de Santana.
Surpreendidos com a redução salarial e com dificuldades para arcar com as despesas mensais, os motoristas, operadores de máquinas e mecânicos da Prefeitura pleiteiam pela manutenção do Adicional por Jornada Excedente (AJE) dos efetivos, por salário com estabilidade econômica, incorporação de gratificações na remuneração, isenção do IPTU e pelo pagamento de insalubridade e periculosidade.
Representante da categoria, Waldeck Fause também pede que o auxílio transporte volte a ser pago em dinheiro. O servidor afirma que a forma atual, com passagens creditadas no cartão Via Feira, não contempla as demais formas de transporte público regulamentadas no município. “Não tem como a gente se locomover em um transporte público tão precário, sujo e que quebra toda hora, fazendo atrasar o serviço público. Transporte que anda lotado e não cabe nem mais uma folha de papel”.
Informações; ASCOM CÂMARA

OUTRAS NOTÍCIAS