Sema-MT consta que não houve alteração da qualidade da água da cachoeira tingida de azul para chá revelação

Equipes da Secretaria de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema-MT) constataram, na tarde de terça-feira (27), que não houve alteração da qualidade da água da cachoeira tingida de azul, no último domingo (25), em Tangará da Serra, município localizado a cerca de 250 quilômetros de Cuiabá.

As águas foram coloridas durante um “chá-revelação“, evento organizado para que um casal descubra o sexo do bebê que aguardam. A cor azul indicava que os pais terão uma criança do sexo masculino.

As imagens do evento repercutiram nas redes sociais e levantaram suspeitas sobre a possibilidade de contaminação e prejuízos à fauna e à flora locais. O secretário municipal do Meio Ambiente de Tangará da Serra, Vinicius Lançone, disse à CNN que o caso foi denunciado à prefeitura por diversos canais.

Análise

Amostras da água foram analisadas depois de agentes da Sema-MT visitarem o local juntamente a representantes do município de Tangará da Serra, na segunda-feira (26). De acordo com a secretaria, não foi constatada, durante a visita, a alteração visual nos parâmetros físicos da água, como cor e odor, e não houve mortandade de animais. A análise laboratorial da água não apontou alteração de qualidade.

Ainda segundo a Sema-MT, o responsável pelo tingimento das águas da cachoeira já foi identificado e deve comparecer à sede do órgão ambiental para a devida autuação.

Apesar dos danos ambientais não terem sido constatados, houve uma conduta em desacordo com a legislação. O decreto federal nº 6.514/2008 define como passível de infração ambiental “lançar resíduos sólidos, líquidos ou gasosos ou detritos, óleos ou substâncias oleosas em desacordo com as exigências estabelecidas em leis ou atos normativos”. As multas e demais penalidades serão definidas e aplicadas após laudo técnico elaborado pelo órgão ambiental.

Por telefone, o pai do bebê, que aparece nas filmagens, disse que o evento foi uma surpresa ao casal, que não sabia de nenhum detalhe da organização e repudiou a repercussão negativa direcionada a ele e à mulher gestante.

A cachoeira que aparece nas imagens fica em uma propriedade privada. A CNN entrou em contato com a empresa proprietária do terreno, mas não obteve retorno.

Fonte: CNN

OUTRAS NOTÍCIAS