Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Sem Moro no páreo, Augusto Aras pode ser indicado para vaga no Supremo

Sem Moro no páreo, Augusto Aras pode ser indicado para vaga no Supremo

A depender da postura do procurador-geral da República, Augusto Aras, em relação ao governo Bolsonaro, o nome do atual chefe do Ministério Público pode ser indicado para o STF (Supremo Tribunal Federal). A indicação de Aras à vaga que será aberta na Corte até o ano que vem começou a ser considerada com a saída de Sergio Moro do Ministério da Justiça, em abril.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, dois aliados do presidente sugeriram, em encontros no Palácio da Alvorada, que Bolsonaro leve em consideração o nome do baiano para a vaga. No geral, a atuação do PGR tem agradado o presidente, que costuma se referir a Aras, de acordo com assessores presidenciais, como um aliado estratégico de sua gestão.

No entanto, Bolsonaro reclamou, recentemente, de pedido feito pela PGR ao Supremo para ter acesso a cópia de gravação de uma reunião promovida no dia 22 de abril no Palácio do Planalto. No encontro, segundo Moro, Bolsonaro teria cobrado a substituição tanto do então diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, como do superintendente da Polícia Federal do Rio de Janeiro.

Augusto Aras também solicitou o depoimento dos ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Walter Braga Netto (Casa Civil). De acordo com deputados bolsonaristas, o presidente avaliou as solicitações como desnecessárias, mas foi convencido pelos aliados de que, neste momento, o procurador-geral precisa dar resposta às cobranças de que adote uma postura de independência. Tais cobranças são feitas tanto por integrantes do Supremo como da PGR.

OUTRAS NOTÍCIAS