Segundo pesquisa, passar horas assistindo pode levar a demência

gettyimages-620924917-612x612-1

Um estudo feito por pesquisadores da Universidade do Sul da Califórnia (USC, na sigla em inglês) e da Universidade do Arizona, ambas nos Estados Unidos, relacionou o hábito de assistir televisão ao aumento do risco de idosos desenvolverem demência. Por outro lado, ler um livro ou usar o computador parecem proteger o sistema cognitivo deles.

As evidências foram publicadas nessa segunda-feira (22/8), na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences.

Os cientistas analisaram dados de 150 mil moradores do Reino Unido com 60 anos ou mais coletados ao longo de 12 anos para entender a ligação entre o comportamento sedentário e o risco de demência. Nenhum dos participantes tinha diagnóstico da doença no início do projeto.

Eles descobriram que o tipo de atividade é mais importante do que o tempo gasto sentado durante o período de lazer quando se trata de envelhecimento cerebral.

Os dados mostraram que as pessoas que desenvolveram demência assistiam ao menos três horas e 24 minutos de TV por dia. Assistir quatro horas de televisão por dia foi associado ao aumento de 20% no risco de demência em comparação aos que passavam menos de duas horas em frente ao aparelho.

Uma hora de uso de computador foi associada à redução de 25% do risco de desenvolvimento da doença em comparação a nenhum uso.

“Sabemos de estudos anteriores que assistir televisão envolve baixos níveis de atividade muscular e uso de energia em comparação com o uso de um computador ou leitura”, disse o autor do estudo, o professor David Raichlen, à agência de notícias da USC.

Embora a pesquisa tenha mostrado que ficar sentado ininterruptamente por longos períodos está associado à redução do fluxo sanguíneo no cérebro, a estimulação intelectual que ocorre durante o uso do computador pode neutralizar os efeitos negativos da posição, de acordo com o estudo.

Fonte: metropoles.com

 

OUTRAS NOTÍCIAS