Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Rui nega greve da PM e acusa Prisco de movimento ‘político-partidário’

Rui nega greve da PM e acusa Prisco de movimento ‘político-partidário’

O governador Rui Costa fez uma transmissão ao vivo em seu Facebook na noite desta terça-feira (8) em que negou que a Polícia Militar da Bahia esteja em greve e atacou duramente o deputado estadual e presidente da Associação de Praças e Bombeiros Militares da Bahia (Aspra) Marco Prisco (PSC). Na tarde de hoje, um grupo de PMs liderados por Prisco anunciou greve por tempo indeterminado.

Chega de colocar a sociedade em pânico, a Bahia não quer isso, a Bahia não quer ser ameaçada. A Bahia não quer ver deputado, ou líder, dizendo que vai tocar fogo em ônibus escolar. Já basta o que fizeram com nosso país. A Bahia não aceita isso. A Bahia quer trabalhar“, diz o governador.

Sem citar o nome de Prisco em nenhum momento, ele afirma que o deputado é movido por uma “vaidade irracional e irresponsável”. Diz ainda que não há registro de adesão ao movimento grevista em nenhuma cidade baiana. “Não temos registro de nenhuma adesão em nenhum município da Bahia ao chamamento dessa pessoa que, repito, responde a processos na Justiça (…) Essa ação criminosa, só ele ganha. A sociedade perde, os policiais perderiam. Só ele ganha, na sua vaidade irracional e irresponsável”, ataca.

Em 2012, gravações trouxeram Prisco conversando com um colega grevista e tratando de ações de intimidação como queima de viaturas e fechamento de rodovias. As gravações, autorizadas pela Justiça, foram exibidas no “Jornal Nacional”, da Rede Globo.

Rui começa o vídeo agradecendo os policiais baianos por não seguirem uma liderança que “quer fazer um movimento de viés político-partidário”.  “Que em 2012 foi pego em áudios mandando tocar fogo em ônibus com crianças, em transporte escolar, para criar o caos perante a sociedade. A Bahia e os baianos não merecem um deputado com esse perfil. A Polícia Militar da Bahia não aceita, com absoluta certeza, com seus valores de disciplina, de família, de quem é pai, de quem é mãe, ser liderada por uma pessoa com essas qualidades morais, éticas e de conduta, respondendo a vários processos criminais na Justiça baiana e na federal”, afirmou.

O governador diz ainda que tem trabalhado para melhorar a vida da PM-BA. “Quero aqui reafirmar o nosso compromisso, desde o 1º dia que sou governador do nosso estado, tenho adotado uma postura intransigente de defesa dos nossos policiais. De humanização da nossa polícia. Tenho feito o máximo de esforço, mesmo com o Brasil atravessando a maior crise dos últimos 100 anos, tenho feito valorização da nossa polícia, do nosso funcionalismo”.

E continuou: “Tenho orgulho de poder dizer aqui ao vivo que a PM da Bahia está entre os 3 estados do Brasil com melhor condição de trabalho. Seja do ponto de vista da valorização profissional, do ponto de vista de equipamentos, da fluidez da carreira… Fluidez que estamos conversamos e vamos continuar, para encontrar um modelo de promoções que torne mais ágeis as promoções dentro da Polícia Militar”.

Ele encerra falando que os policiais não querem ser “massa de manobra” para uso na carreira política de ninguém. “Fizemos monitoramento nessas duas últimas horas em todas as cidades da Bahia. Não temos nenhuma ocorrência de nenhuma adesão a essa aventura político-partidária do deputado”, diz.

Fonte: Correio

OUTRAS NOTÍCIAS