Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Ruas danificadas por alguns dos próprios moradores

Ruas danificadas por alguns dos próprios moradores

“Os moradores jogam água servida no asfalto, tem condomínio que chega a esvaziar até piscina na pavimentação, o que termina esburacando tudo, e depois gravam vídeos reclamando da situação”. Lamenta o gestor da Superintendência de Operações e Manutenção (SOMA), engenheiro civil João Vianey.

É o caso, por exemplo, da rua Humildes, mais precisamente no cruzamento com a rua N, no conjunto Feira VI, bairro do Campo Limpo. O acúmulo de água servida lançada por alguns moradores obriga a SOMA a sempre estar realizando reparos na pavimentação.

Esta semana, entretanto, um dos moradores postou um vídeo em redes sociais, mostrando os estragos e acusando a Prefeitura de abandono.

“O local não tem esgotamento sanitário da Embasa e a drenagem pluvial, para água de chuva, não é apropriada para o volume de água servida. Logo, a pavimentação não aguenta muito tempo, até porque o tráfego é intenso. Ou os moradores param de jogar água na via, ou o problema vai persistir”, destaca Vianey.

Ele acrescenta que nos últimos dois meses, a SOMA já notificou dois condomínios, um na Mangabeira, e outro na Santa Mônica, que tinham a prática de esvaziar as piscinas jogando a água nas ruas.

OUTRAS NOTÍCIAS