Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Remédio para acne com risco de graves efeitos colaterais viraliza como dica de beleza e preocupa médicos

Remédio para acne com risco de graves efeitos colaterais viraliza como dica de beleza e preocupa médicos

Insatisfeita com o desenho do seu nariz? Tome um remédio para acne. A solução apresentada, por mais desprovida de sentido que possa parecer, tem sido seguida por milhares de meninas no mundo todo. Só no Brasil, para se ter uma ideia, como buscas na última semana por esse tipo de associação com o nome comercial do medicamento mais conhecido para o problema de pele aumentou 900%. Uma frase buscada: “Roacutan afina o nariz”.

No Tik Tok, o ganhou destaque recentemente, principalmente sob as hashtags #roacutancheck e #roacutanchallenge, que já somam mais de 29 milhões de visualizações. Nos relatos, os jovens compartilham imagens do antes e depois para corroborar a hipotética ação do medicamento, alegando que observaram um afinamento do nariz após o tratamento.

Tamanho alarde chamou a atenção da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), que emitiu uma esclarecimento notaecendo que não há qualquer comprovação de eficiência dessa prática.

A (falsa) lógica é a seguinte. Como medicações para combater a acne como o Roacutan, uma substância chamada isotretinoína. Ela envelhece diminuindo conforme as glândulas sebáceas do rosto, o que geraria um afinamento de toda a pele do rosto, inclusive do nariz. O mecanismo pode dar a impressão de que o nariz está menor.

No entanto, este tipo de remédio possui uma série de efeitos graves, como complicações hepáticas e mal formação fetal e risco de abortamento caso seja usado por grávidas. Por isso, seu consumo deve ser realizado apenas quando indicado por um dermatologista para o tratamento de acne severa.

– Há vários problemas que podem surgir com isso. Primeiro, há o perigo dos efeitos colaterais, que podem ser graves. O segundo seria as pessoas notarem um efeito contrário ao esperado, o que pode afetar também que especificam da medicação. O remédio é ótimo para aquilo que se propõe – alerta o dermatologista Beni Moreinas Grinblat, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

A SBD também reiterou que o consumo indiscriminado da isotretinoína pode causar reações adversas severas e que jamais deve ser feito sem acompanhamento médico. Entre eles, problemas hepáticos, aumento dos níveis de colesterol e triglicerídeos e risco de 30% de malformações congênitas em fetos. É por isso que, antes de iniciar o tratamento, é necessário assinar um termo de consentimento sobre os riscos associados a uma eventual gravidez.

– A isotretinoína não é uma medicação de uso leviano. Quando usado para acne, o paciente tem uma sensação de pele mais fina, com menos poros. Tem ganhos estéticos, mas o uso meramente estético não é recomendado de forma alguma – afirma Maria Claudia Tirico, dermatologista especializada em laser e estética pela Scripps Clinic, em San Diego, nos Estados Unidos.

A lista de orientações de beleza bizarras nas redes sociais não para por aí. Entre as mais populares, é uma técnica chamada dermaplaning, que consiste na raspagem da penugem de todo rosto feminino com o uso de uma lâmina para deixar a pele mais brilhante. Como influenciadores, a divulgam como sendo supostamente parte do ritual de beleza de Marilyn Monroe.

– Quando erro uma lâmina pode haver cortes, infecções e alergias – alerta Ademar Schultz, dermatologista da Santa Casa de Misericórdia de Vitória.

Alcance ampliado

Não é de hoje que existe uma propagação de fórmulas caseiras mágicas para a pele. Mas o que a rede social faz é disseminar isso de uma maneira muito mais rápida e com um alcance muito maior. O cenário se torna ainda mais preocupante desde a chegada da plataforma Tik Tok. São cerca de 1,1 bilhão de usuários, a maioria deles na faixa dos 10 e 19 anos.

– Sempre existe um ar de autoridade no que se diz nas redes, e isso é o que mais preocupa – diz Grinblat.

Há menos de um mês o Tik Tok foi acusado de disseminação da desinformação sobre a Covid-19 e as vacinas. O alerta foi da ONG Media Matters. Os vídeos circulares pelas recomendações da página “Para Você”.

Informações; Agora RN

OUTRAS NOTÍCIAS