Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Recém-nascido morre aguardando regulação; Hospital da Mulher tenta transferência de outro bebê

Recém-nascido morre aguardando regulação; Hospital da Mulher tenta transferência de outro bebê

A direção do Hospital da Mulher está buscando urgência na transferência de recém-nascidos que necessitam de um hospital referência para realização de tratamentos.

De acordo com a presidente da Fundação Hospitalar, Gilbert Lucas, três bebês aguardavam a transferência, um deles faleceu, um foi aprovado pela regulação e o terceiro segue na fila de espera.

‘Estávamos com três recém-nascidos no sistema de regulação estadual, todos que nasceram com alta complexidade para casos cirúrgicos. Na sexta, conseguimos a regulação do David Lucas, que já estava há 20 dias na central, ele é prematuro e precisa de uma cirurgia de neurocirurgia. Infelizmente, ontem, às 8h30, um bebê cardiopata, que estava na regulação há cinco dias, veio a óbito. Hoje estamos buscando a regulação de Benício que aguarda há dois meses pela cirurgia de gastrostomia e traqueostomia, um bebê grave’, explica Gilbert.

A presidente da Fundação pontua que a dificuldade de transferência pediátrica se deve ao grau de alta complexidade dos casos. Na maioria das vezes, segundo ela, os recém-nascidos são direcionados para unidades hospitalares de Salvador.

‘A gente solicita, fazendo relatório, pedindo, executando tudo que é possível por aqui, como a medicação de alto custo, especialidades, a nossa dificuldade é conseguir unidades referências para um bebê que deveria operar de imediato, o que dificulta o tratamento’, afirma.

Com informações do repórter Joaquim Neto, Bom dia Feira.

OUTRAS NOTÍCIAS