Queda no preço do diesel para distribuidoras, anuncio é feito pela Petrobras

disel_petrobras_reducao_widelg

A Petrobras anunciou, nesta quarta-feira (22), uma nova queda no preço do diesel para as distribuidoras. O valor vai passar de R$ 4,02 para R$ 3,84 por litro, o que representa uma redução de R$ 0,18 ou 4,47%. A medida passa a valer a partir desta quinta-feira (23).

Os preços dos demais combustíveis não tiveram modificação. A última redução anunciada pela estatal aconteceu no dia 28 de fevereiro, para diesel e gasolina. De acordo com a empresa, a revisão no preço tem como objetivos principais a “manutenção da competitividade dos preços da Petrobras” frente às principais alternativas de suprimento dos clientes e a “participação de mercado necessária para a otimização dos ativos de refino”.

O recuo no valor do diesel acompanha a queda nos preços do barril de petróleo no mercado internacional. Nesta semana, os preços do petróleo chegaram ao seu nível mais baixo em quase 15 meses, afetados pela crise bancária persistente, que gera temores de uma desaceleração do crédito e da economia.

O barril do tipo Brent, referência para os preços da Petrobras, chegaram à casa dos US$ 72,97. Nos momentos mais críticos dos preços de combustíveis, estavam no patamar de US$ 140.

Confira a nota da Petrobras

A partir de amanhã, 23/03, o preço médio de venda de diesel A da Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 4,02 para R$ 3,84 por litro, uma redução de R$ 0,18 por litro.

Considerando a mistura obrigatória de 90% de diesel A e 10% de biodiesel para a composição do diesel comercializado nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor será, em média, R$ 3,45 a cada litro vendido na bomba.

Essa redução tem como objetivos principais a manutenção da competitividade dos preços da Petrobras frente às principais alternativas de suprimento dos nossos clientes e a participação de mercado necessária para a otimização dos ativos de refino.

Ciente da importância de seus produtos para a sociedade brasileira, a companhia destaca que na formação de seus preços busca evitar o repasse da volatilidade conjuntural do mercado internacional e da taxa de câmbio, ao passo que preserva um ambiente competitivo salutar nos termos da legislação vigente.

BNEWS

OUTRAS NOTÍCIAS