Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Projeto que propõe suspender contrato da Prefeitura com gestão do Shopping Popular deve ser votado quinta, na Câmara

Projeto que propõe suspender contrato da Prefeitura com gestão do Shopping Popular deve ser votado quinta, na Câmara

Será pautado para a sessão da próxima quinta-feira (18) da Câmara Municipal um projeto de lei que determina a suspensão do contrato entre a Prefeitura e o consórcio que administra o Shopping Popular, anunciou esta manhã o presidente do Poder Legislativo, Fernando Torres (PSD).

Centenas de antigos camelôs transferidos do centro da cidade se encontram no local, com forte queda de vendas e impossibilidade de pagar aluguel pelos boxes, bem como as taxas condominiais. A proposta é de autoria do vereador Edvaldo Lima (MDB), preocupado com o impasse entre os vendedores ali acomodados pelo Governo e a gestão do equipamento.

“O projeto foi lido na semana passada e agora cumpre os prazos regimentais. Aguarda parecer da Comissão de Constituição e Justiça votar em primeira discussão nesta quinta”, diz o presidente. Fernando convidou, na sessão desta terça (16), aos pequenos comerciantes, a comparecer na Casa da Cidadania e prestigiar a discussão da matéria. Para o dirigente do Legislativo, o prefeito Colbert Martins Filho “deu as costas” ao Shopping Popular.

Teria “enganado” aos trabalhadores e também ao próprio Elias Tergilene, principal investidor do empreendimento, concebido através de Parceria Público-Privada. “Falta boa vontade, diálogo, pulso e honestidade. É indenizar o Elias, ele volta para Minas Gerais, a Prefeitura doa o terreno para os vendedores cadastrados e eles próprios administram o espaço”, orienta. Colbert, ele assinala, não estaria disposto a conversar: “não atendeu nem a comitiva de vereadores que o procurou para tratar da interrupção dos serviços da Casa de Saúde Santana, muito menos a vocês, que são pessoas humildes”.

Informações: Ascom

OUTRAS NOTÍCIAS