Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Professores da Rede Municipal de Feira fazem carreata contra corte de salários; APLB pede prioridade de vacinação para a categoria: “Conteúdo se repõe, vidas não”

Professores da Rede Municipal de Feira fazem carreata contra corte de salários; APLB pede prioridade de vacinação para a categoria: “Conteúdo se repõe, vidas não”

Nesta Segunda-Feira (03), professores da rede municipal de ensino de Feira de Santana, juntamente com a APLB, fizeram uma carreata em protesto contra o corte de salários da categoria, assim como a volta as aulas presenciais, sem antes vacinar os professores.

Os manifestantes foram liderados pela presidente da APLB, a professora Marlede Oliveira. “Não existe condição de voltar as aulas presenciais sem antes vacinar os professores, o comercio é diferente de uma escola, no comercio são adultos, que tem discernimento, e tem que se proteger, ainda sim muitos não se protegem”, conta.

“As crianças não tem essa noção, do que é o vírus, do que é a morte. Elas irão se abraçar, terão contato com os professores, e mesmo que não fiquem doentes, se tornarão vetores de contaminação do vírus para seus familiares e professores. Nós não aceitaremos, e não retornaremos as aulas presenciais sem vacinar a categoria. Conteúdo se repõe, vidas não”, disse a Presidente.

Marlede também conta que, segundo fala do Prefeito Colbert, em recente entrevista a um programa de rádio, a culpa do déficit na educação, durante a pandemia, é dos professores. Ela por sua vez, discorda de forma veemente.

“O prefeito disse em entrevista na rádio que a culpa pelo défice educacional seria dos professores, mas a culpa é do governo municipal. Não foi oferecido suporte nem infraestrutura para o retorno as aulas de forma remota. Muitas famílias não tem internet, celular ou computador, e muitos professores não tem um equipamento propicio para dar aula remota, e a prefeitura não forneceu nenhuma ajuda nesse aspecto. Agora quer jogar a culpa para cima de nós, que estamos nos desdobrando e fazendo o que podemos, mesmo com salários cortados”, contesta.

A carreata contou também com a presença do Vereador Silvio Dias, que disse apoiar a causa, e as reivindicações dos professores. “O governo municipal cortou os salários dos professores em até 70%, e com isso muitos estão passando dificuldades. Imagine você, que tem seu pai, mãe, filhos, e muitas vezes é a unica pessoa com renda na família, já tem um planejamento em cima de um valor que irá receber, e de repente tem esse valor cortado em mais da metade, mesmo estando trabalhando. É uma situação desesperadora”, explica.

“Já se tem uma pratica criminosa de contratar o professor para carga horaria de 20 horas, fazer ele trabalhar por 40 horas, e pagar uma dita hora extra, e agora ainda por cima cortam os salários. Os professores estão trabalhando, dando aulas remotas, fazendo o que podem, o governo municipal tem por obrigação escutar a categoria”, pede o Vereador.

Silvio Dias também afirma, que para a retomada das aulas presencias de forma segura, é necessário vacinar os professores. “Salvador já esta vacinando professores, e mesmo assim, a retomada das aulas ainda está sendo discutida. Aqui em Feira, o Governo Municipal, ainda nem começou a vacinar a categoria, e já quer retomar as aulas, isso é um absurdo. As crianças são mais fortes contra o vírus, mas elas tem familiares, os professores também tem familiares, que podem ser contaminados, e podem transmitir, e assim escalar a contaminação ainda mais”, explicou.

Os professores seguiram pela Avenida Presidente Dutra, passando pelo Núcleo Regional de Educação – NRE 19, em direção a prefeitura, e em seguida para a Secretaria de Educação de Feira de Santana, que se encontra agora em novo endereço.

A nova sede está localizada na avenida Getúlio Vargas, 3.183, nas proximidades da agência da Caixa Econômica Federal do bairro Santa Mônica. Todos os setores, com exceção do almoxarifado, ficam localizados no mesmo no prédio.

OUTRAS NOTÍCIAS