Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Procurador de Paris diz acreditar que incêndio na Catedral de Notre-Dame foi acidente

Procurador de Paris diz acreditar que incêndio na Catedral de Notre-Dame foi acidente

O procurador de Paris, Remy Heitz, afirmou nesta terça-feira (16) que acredita que o incêndio na Catedral de Notre-Dame possa ter sido ocasionado por um acidente. Nesta manhã, bombeiros e especialistas analisavam a estrutura da edificação e o impacto das chamas.

“Nós estamos priorizando a teoria de um acidente”, declarou o procurador da capital francesa, que também afirmou que a investigação será longa e complexa.

O incêndio levou nove horas para ser controlado e causou grandes danos à catedral: todo o telhado e toda a armação foram destruídos, parte da abóbada e a “flecha” (torre mais alta) caíram.

Ainda segundo o procurador, “nada aponta para um ato voluntário”, conforme destacou a AFP. Ele explicou que cerca de 15 funcionários de cinco empresas que faziam obras na catedral e estiveram no local nesta segunda-feira deverão prestar depoimentos. Além disso, Heitz informou que aproximadamente 50 investigadores trabalharão no caso.

Valérie Pécresse, presidente da região de Île de France, que inclui as cidades de Paris e Versalhes, também disse que o incêndio foi um acidente. “Não foi intencional”, declarou.

’15 minutos’

A destruição total da igreja foi evitada por questão de “15 minutos ou meia hora”, informou o ministro do Interior da França, Laurent Nuñez.

“Cerca de 20 funcionários, que colocaram suas vidas em perigo, entraram nas duas torres para combater o incêndio de dentro e isso permitiu salvar o edifício”, afirmou.

Arquitetos e especialistas da polícia e do governo detectaram “algumas vulnerabilidades” na estrutura de sustentação do telhado e na ala norte — o que fez com que as autoridades tivessem que esvaziar cinco edifícios vizinhos de forma preventiva. No geral, a estrutura do prédio resistiu bem, segundo o ministro.

Macron promete reconstrução

O presidente francês, Emmanuel Macron, prometeu “reconstruir” a catedral. “Nós vamos reconstruir essa catedral, todos juntos. Uma campanha nacional vai ser lançada, e para além das nossas fronteiras. Nós faremos um chamado aos maiores talentos, que serão muitos e virão para reconstruir nossa Notre-Dame.”

O ministro da Cultura da França, Franck Riester, afirmou que as obras danificadas pela fumaça do incêndio serão levadas para o Museu do Louvre para restauração. “Elas podem ser removidas a partir de sexta-feira e transportadas com segurança para as dependências do Louvre, onde serão restauradas.”

O novo presidente da Conferência Episcopal francesa, Eric de Moulins-Beaufort, avaliou que a restauração do edifício levará “anos de obras”.

Doações para a reconstrução

O magnata francês François-Henri Pinault, cuja família é proprietária de um conglomerado de marcas de luxo, anunciou que vai doar 100 milhões de euros para a restauração da catedral. Outros 200 milhões de euros foram prometidos pela família Bettencourt Meyers, sócia da L’Oreal.

 

Fogo

O incêndio começou por volta das 18h50 locais (13h50 de Brasília) na parte superior da catedral e se propagou rapidamente pelo o telhado.

A ‘flecha’, de autoria do arquiteto Eugène Viollet-le-Duc, desmoronou no início da noite de segunda-feira, diante dos olhos dos parisienses e turistas incrédulos que acompanhavam a tragédia no local.

O fogo queimou o teto de madeira de mais de cem metros de comprimento, conhecido como “a floresta”, pelo grande número de vigas utilizadas para instalá-lo.

Cerca de 400 bombeiros foram mobilizados para conter as chamas. Para a corporação, o incêndio pode estar ligado às obras de renovação que estavam ocorrendo na catedral.

–:–/–:–

OUTRAS NOTÍCIAS