Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

Procurada na Bahia a traficante “Damas de Copas” é presa em São Paulo

Procurada na Bahia a traficante “Damas de Copas” é presa em São Paulo

Policiais do Serviço de Investigação da 10ª Coordenadoria da Polícia Civil do Interior (COORPIN), com apoio do Departamento de Polícia do Interior (DEPIN), do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRACO), do Departamento de Inteligência Policial (DIP) e do Serviço de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia, sob o comando do secretário Mauricio Barbosa, prenderam a maior traficante e homicida da Bahia, Jesiane Silva Teixeira, conhecida mais no mundo do crime como Dona Maria, ou Tia e a Dama de Copas do baralho do Crime.

Ela foi presa na manhã desta quarta-feira (25-09-19), na cidade de Mogi das Cruzes no estado de São Paulo. Além da distribuição de drogas, a criminosa tinha envolvimento com homicídios, corrupção de menores, roubos, falsificações, tráfico de armas, entre outros crimes. Natural de Vitória da Conquista, ela comandava uma facção atuante na região Sudoeste da Bahia, com ramificações nos estados de Minas Gerais e São Paulo.

Possuidora de três mandados de prisão e condenação, Dona Maria será trazida para Bahia onde responderá pela extensa ficha criminal. “Excelente trabalho de inteligência. É este tipo de resultado que coloca a polícia baiana entre as melhores do Brasil. Parabéns aos policiais civis. A população baiana agradece”, comemorou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa.

A Vida Pregressa de Dona Maria

Dona Maria é enteada de Antonilton de Jesus Martines, o. Nenzão, um dos traficantes mais antigos da Região Sudoeste. No ano de 2008 Jasiane foi presa em flagrante pela PC de Conquista por Tráfico de Drogas e Porte Ilegal de Arma junto com o companheiro Bruno de Jesus Camilo, o. Pezão, sobrinho de Nenzão.

No ano de 2009, Pezão cumpria pena no Presídio de Jequié quando ordenou a morte de um agente penitenciário, e Jasiane, que já estava em liberdade, colaborou com a ação criminosa, fornecendo as armas e apoio logístico aos executores, que morreram em confronto com a polícia horas depois.

Após a soltura de Pezão, o casal se mudou para o Sul da Bahia, de onde continuou comandando a distribuição e venda de drogas na região sudoeste e ordenando mortes de rivais na disputa por territórios.

Em 2014 Pezão morreu em confronto com policiais civis de Vitória da Conquista em Santa Cruz Cabrália, mas Dona Maria consegue fugir e assumiu a liderança da Orcrim, denominada BDN – Bonde do Neguinho, em alusão ao principal gerente, o Neguinho, Juarez Vicente Morais.

Dama de Copas

Após ser colocada no Baralho do Crime em 2017, Jasiane se alia a integrantes do BDM(Marreno e Zé de Lessa) e PCC(Márcio, v. Carioca), e passa a comandar a distribuição de armas e drogas não só na região sudoeste, mas em grande parte do Estado.


A compra de armamento pesado, como fuzis e granadas é intermediada por Jasiane, que ordena diretamente centenas de assassinatos na região sudoeste, a Juarez Neguinho e Diogo Oliveira Campos, v. Kiko, seus principais gerentes.

No ano de 2018, a PC de Conquista apreendeu uma aeronave usada pela Orcrim para trazer drogas e armas diretamente da Bolívia, Venezuela, Colômbia e Peru. Dona Maria era uma das operadoras da rota internacional de drogas.

Recentemente as equipes obtiveram informações que Dona Maria passou a conviver maritalmente com Márcio Faria dos Santos, o Carioca, integrante do PCC, que lidera o braço financeiro da facção no Leste Paulista.

Nesta data, Jasiane foi capturada em São Paulo na companhia de Márcio Carioca, por uma equipe da Força Tarefa da Polícia Civil da Bahia, formada por investigadores do Draco, DIP e Depin(9a e 10a Coorpin’s).

Dona Maria possui mandado por condenação em conquista, pela prisão de 2008 por tráfico e porte, mandado por condenação em Jequié, por Homicídio Qualificado do agente penitenciário.

Mais duas preventivas em conquista, por tráfico e associação.
Gleidson Santos / Jornal Folha do Estado com informações da 10ª Coorpin.

OUTRAS NOTÍCIAS