Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Prefeito Colbert confirma arrastão em Feira de Santana e acusa omissão sobre violência por parte de lideranças

Prefeito Colbert confirma arrastão em Feira de Santana e acusa omissão sobre violência por parte de lideranças

Um momento de pânico tomou conta de alguns feirenses que trafegavam pela Avenida José Falcão, no bairro Queimadinha em Feira de Santana na manhã de ontem (22). A Polícia Militar informou que não houve arrastão, como estava sendo divulgado em redes sociais.

Na manhã deste domingo (23), o prefeito Colbert Martins afirmou que ocorreu uma tentativa de arrastão, mas como forma de esconder a realidade do caso, preferiram omitir o caso.

“Feira teve arrastão sim nesse sábado pela manhã e os níveis de violência na cidade estão ficando intoleráveis, foi uma tentativa de esconder uma realidade que não está sendo enfrentada com determinação e estratégia”, Afirmou o prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins.

“Nós confirmamos o arrastão com oficiais da Polícia Militar, que infelizmente não podem se identificar porque sabem que sofrerão retaliações. Um deles relata que os bandidos pretendiam inclusive atear fogo num ônibus que foi apedrejado”, destacou o prefeito.

O arrastão foi registrado na avenida José Falcão da Silva, uma das mais movimentadas da cidade, no trecho do bairro Queimadinha, considerado um dos grandes redutos do tráfico de drogas. Só não tomou proporções maiores porque a Polícia Militar chegou ao local rapidamente.

“Mesmo com 7 anos sem ter um aumento de salário, a Polícia Militar continua fazendo o que pode para enfrentar os criminosos. Feira só tem quatro companhias, enquanto só na orla de Salvador existem cinco. Há 10 anos prometeram instalar cinco bases comunitárias da PM, mas até hoje só instalaram duas”, cobrou Colbert Martins.

O prefeito acusa as lideranças do PT no município de fazerem vistas grossas para a violência em Feira de Santana. “Abril teve recorde de 45 assassinatos em Feira e em maio já passamos dos 30. Essa média de homicídios vem de mais de 5 anos. As lideranças do Governo do Estado no município fazem de conta que está tudo bem, enquanto a juventude pobre está sendo assassinada”, afirmou.

Informações: SECOM

OUTRAS NOTÍCIAS