Policial preso por matar lutador Leandro Lo criou projeto contra violência doméstica

img-3829

Preso temporariamente acusado pela morte do campeão mundial de jiu-jítsu Leandro Lo, de 33 anos, o tenente da Polícia Militar Henrique Otavio Oliveira Velozo, de 30, foi o idealizador de um projeto para a prevenção de crimes contra as mulheres.

O curso, chamado “Segunda Força – a hora da mudança!”, foi feito em parceria com a Associação de Oficiais Militares do Estado de São Paulo (Defenda PM), e divulgado em dezembro de 2019.

De acordo com publicações feitas à época, o projeto tinha como objetivo a preparação e instrumentalização efetiva na defesa pessoal e inteligência emocional das mulheres. Além disso, Henrique Velozo também ensinava a assertividade no posicionamento pessoal e aspectos jurídicos.

Leandro foi baleado na madrugada do último domingo (7/8), durante um show do grupo Pixote, no Esporte Clube Sírio, no bairro da Saúde, zona sul da capital paulista. O caso é investigado como tentativa de homicídio pelo 16º DP (Vila Clementino).

Em um vídeo publicado em um canal do Defenda PM nas redes sociais, Velozo diz acreditar que a prevenção do crime e o fortalecimento da autoconfiança “passam pelo necessário acesso à informação”.

“A ideia é que as participantes conheçam técnicas capazes de evitar o crime. O foco é a prevenção primária, não queremos motivar o enfrentamento, mas preparar a neutralização de um possível ataque”, disse em um trecho da entrevista.

Fonte: Metropoles

OUTRAS NOTÍCIAS