Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on google
Share on email
Share on linkedin

PGR recorre ao STF para que vídeo de reunião entre Moro e Bolsonaro não seja transcrito na íntegra

PGR recorre ao STF para que vídeo de reunião entre Moro e Bolsonaro não seja transcrito na íntegra
O procurador-geral da República, Augusto Aras, vai recorrer ao ministro Celso de Mello, relator no Supremo Tribunal Federal (STF) do inquérito que investiga acusações do ex-ministro da Justiça Sergio Moro contra o presidente Jair Bolsonaro, para que o vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril não seja transcrito na íntegra.
A filmagem contém um encontro citado por Moro em sua denúncia das supostas tentativas do presidente de interferir na Polícia Federal. O ex-ministro afirma que Bolsonaro o cobrou, na reunião, a troca do ex-superintendente da PF do Rio de Janeiro Ricardo Saadi e do ex-diretor-geral da Polícia Federal Maurício Valeixo, além de relatórios de inteligência e informação da PF.
Aras argumenta que a transcrição completa é “desnecessária” e pode implicar em riscos à “soberania nacional”, caso sejam confirmados trechos da reunião com informações sobre outros países, a exemplo da China, como alega o Palácio do Planalto.

OUTRAS NOTÍCIAS