Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

PF diz ao Supremo que investigação já identificou crimes cometidos pelo presidente do Ibama

PF diz ao Supremo que investigação já identificou crimes cometidos pelo presidente do Ibama

Em documento enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), a Políci Federal informou que a investigação inicial já conseguiu identificar crimes praicados pelo presidente do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), Eduardo Fortunato Bim, na operação que tem como alvo ainda outros servidores o Ministério do Meio Ambiente.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, está no radar da PF. 

Eduardo Bim teria facilitado a ação de contrabandistas e imposto dificuldades para a fiscalização ambiental, justamente a área que seria responsável por fiscalizar. Ainda há suspeitas de outros crimes, segundo a Folha de S. Paulo, mas que não podem ainda ser comprovados.

Ele participou de uma reunião com empressários e polícios para discutir modelos mais flexíveis de fiscalização. Por ordem do ministro do STF, Alexandre de Moraes, o presidente do órgõa foi afastado o cargo por 90 dias.

“Cremos que a documentação e demais dados coligidos nos presentes autos”, diz a PF. Até o momento, os indícios “apontam, fortemente, para a possível existência de grave esquema de facilitação ao contrabando de produtos florestais, dentre outros crimes”.

Em nota, o Ibama afirmou que “os fatos serão plenamente esclarecidos nos autos do inquérito”.

A defesa do ministro Ricardo Salles comunicou que “todas as questões relativas à investigação serão prestadas nos autos do inquérito, tão logo se tenha acesso”.

Informações: Agência Brasil

OUTRAS NOTÍCIAS