Petrobras: Acelen comunica que não vai aderir à nova política de preços

A Acelen, empresa responsável pela administração da Refinaria Mataripe, na Bahia, comunicou por meio de nota que os preços dos combustíveis produzidos em sua refinaria continuarão a ser determinados com base em critérios que consideram variáveis como o custo do petróleo, o valor do dólar e o frete, em conformidade com as práticas internacionais de mercado.

O comunicado foi divulgado após a Petrobras anunciar, ontem (16), as mudanças na política de preços dos combustíveis, que encerra a vinculação dos valores ao Preço de Paridade de Importação (PPI).

A empresa destacou em seu comunicado que adota uma política de preços autônoma e transparente, baseada em uma fórmula objetiva que foi homologada pela agência reguladora. Essa abordagem busca garantir previsibilidade e preços justos, com o objetivo de promover maior competitividade no mercado nacional.

Confira a nota na íntegra:

A nova política de preços anunciada hoje pela Petrobras não traz informações suficientemente claras para garantir previsibilidade dos preços de combustíveis no Brasil. Por ser uma empresa dominante no mercado, esta premissa é base para garantir o abastecimento nacional e promover o desenvolvimento da indústria de óleo e gás. A ausência de previsibilidade dos preços de combustíveis desta nova política tende a afastar novos investidores e investimentos.

Neste sentido, consideramos saudável que o CADE acompanhe as variações de preços e aplicação dessa nova política, garantindo simultaneamente as condições isonômicas de acesso ao petróleo brasileiro pelas refinarias privadas, preservando a competitividade e a sustentabilidade do setor.”

Redução preços Acelen

A Acelen informa que, nos últimos meses, reduziu, semanalmente, os preços dos combustíveis produzidos na Refinaria de Mataripe, seguindo mercados de referência. No diesel, foram 10 reduções consecutivas, acumulando queda de 31% desde o início do ano. Já a gasolina acumula queda de 16% no mesmo período. Em relação ao GLP, que tem preço atualizado mensalmente, a redução foi de cerca de 10%, de março para maio. Novo reajuste será anunciado no início de junho.

Os reajustes para baixo refletem a política de preços da empresa, que segue critérios técnicos, levando em consideração variáveis como custo do petróleo, dólar e frete, em consonância com as práticas internacionais de mercado. Cabe destacar que a empresa possui uma política de preços transparente, a partir de uma fórmula objetiva, homologada pela agência reguladora, que assegura previsibilidade e preços justos, visando um mercado mais competitivo no país.

Acorda Cidade

OUTRAS NOTÍCIAS