Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on linkedin

Padre é preso por desviar R$ 620 mil para orgias e drogas

Padre é preso por desviar R$ 620 mil para orgias e drogas

Itália: Padre é preso por desviar R$ 620 mil dos fundos da igreja para pagar por orgias regadas a drogas em sua casa

Um carismático padre italiano foi preso por suspeita de desviar R$ 620 mil dos fundos da igreja para pagar por orgias em sua casa. O sacerdote católico Francesco Spagnesi, de 40 anos, que atua na paróquia da comuna de Prato, perto de Florença, está em prisão domiciliar por suspeita de furto, segundo o The Times.

A polícia está investigando centenas de pessoas que supostamente participaram de orgias regadas a drogas promovidas por Spagnesi nos últimos dois anos.

As festas geralmente envolviam o padre, seu colega de apartamento traficante de drogas e pelo menos uma outra pessoa, que eles buscavam em sites de encontros destinados a homossexuais, de acordo com detetives.

No entanto, ocasionalmente as festas semanais envolviam grupos muito maiores, com até 20 ou 30 participantes, apontam as investigações, que começaram após a polícia descobrir que seu colega de apartamento havia importado um litro de GHB (ácido gama-hidroxibutírico) da Holanda.

A droga, frequentemente chamada de droga de ‘estupro’, é usada para incapacitar vítimas de agressão sexual.

Diligências realizadas no apartamento que o padre divide com o amigo traficante revelaram garrafas adaptadas para funcionar como cachimbos de crack.

Nos últimos meses, um contador paroquial descobriu que cerca de R$ 620 mil foram retirados da conta bancária da paróquia – dinheiro que a polícia suspeita ter sido usado pelo padre para comprar drogas.

Padre cita dependência química

O bispo local interrompeu o acesso aos fundos, o que levou Spagnesi a supostamente começar a embolsar dinheiro da cestinha de coleta da igreja e solicitar fundos de paroquianos ricos, aparentemente destinados a famílias de baixa renda.

The Times, citando investigadores, relatou que o padre teve tanto sucesso em angariar doações que logo estava arrecadando centenas de euros. Alguns paroquianos fizeram doações individuais de até R$ 9,3 mil.

O padre inicialmente alegou que o dinheiro desaparecido tinha ido para famílias necessitadas, mas depois admitiu que sofria de dependência química.

O jornal local La Nazione relata que os paroquianos tinham “grande fé no padre jovem, brilhante, envolvente e refinado”, mas agora iniciaram uma ação legal para obter seu dinheiro de volta. Pelo menos duas ações judiciais por fraude chegaram ao gabinete do procurador, disse a publicação.

De acordo com o diário milanês Corriere Della Sera , Spagnesi culpou o “vício em cocaína” por suas ações e também revelou que é HIV positivo.

Eu não me reconheço mais, o vício na cocaína me engoliu”, disse ele em prantos diante dos advogados. “A droga me fez trair meus paroquianos, me fez contar mentiras, me fez agir de que me envergonho. Agora sou HIV positivo… ”

Spagnesi acrescentou que estava tomando medicamentos antirretrovirais, o que significava que não poderia transmitir o HIV .

Ele prometeu devolver o dinheiro e vender tudo o que possui, até mesmo sua casa, para reembolsar os paroquianos

Peço perdão a todos”, disse ele.

O padre foi ordenado em 2007 e nomeado pároco em 2009. Dom Giovanni Nerbini, bispo da comuna de Prato, nomeou um novo administrador para a paróquia, que tem trabalhado com os fiéis para ajudá-los a lidar com o choque das denúncias contra o padre.

Informações: UOL

OUTRAS NOTÍCIAS